in

Banda Asfixia Social se une ao rapper MV Bill na faixa “Tiro no Escuro”

Trazendo uma mistura bélica de rock com rap, que permite a banda expor a realidade e transitar sobre variados estilos, como o dub, o metal e o maracatu, “Tiro no Escuro” fala sobre a escolha de muitos pelo próprio opressor como seu líder político

Asfixia Social POP CYBER
(Foto: Lavi Comunicação & Mkt)

A banda Asfixia Social lança nesta sexta-feira (07) o seu mais novo single, “Tiro no Escuro”, em parceria com o rapper MV Bill. Lançado pelo selo musical Marã Música, o novo som estará disponível em todas as plataformas digitais e chega acompanhado de um videoclipe, que será lançado no canal do MV Bill no YouTube também nesta sexta, às 11h.

Trazendo uma mistura bélica de rock com rap, que permite a banda expor a realidade e transitar sobre variados estilos, como o dub, o metal e o maracatu, “Tiro no Escuro” fala sobre a escolha de muitos pelo próprio opressor como seu líder político. “Dos discursos que se alimentam da cegueira coletiva e da barbárie para promover a expressão popular ‘Tiro no Escuro’. Para nós, a eleição de governantes de trajetórias tortuosas travestidos de salvadores da pátria, mas prontos para intensificar a violência e a desigualdade para defender a posição de privilégio de uma elite financeira racista. Despreparados, mas prontos para atirar”, resume a banda.

Para amplificar a mensagem de “Tiro no Escuro”, a Asfixia Social convidou para a faixa o rapper, escritor, ator e ativista MV Bill, que já era uma referência para os quatro integrantes da banda desde sempre. “Conhecemos ele e a equipe pessoalmente em um evento nosso no ABC Paulista e estabelecemos essa conexão. Além do Bill sempre atender ao público, fãs e artistas, ele curte outros estilos musicais como a gente. É um cara mente aberta e para nossa grata surpresa viu a nossa correria. Nós só temos a agradecer a ele e a toda a equipe pela generosidade, amizade e por seguir rimando”, contam. “Tiro no Escuro” ainda conta os músicos convidados Henrique Kehde (bateria), Carlos Peixoto (synths) e Márcio Chapra (guitar fx).

A inspiração para escrever os versos da faixa começou com Kaneda (trompete, trombone, voz) dirigindo e ouvindo uma entrevista de rádio. “Nessa entrevista, deram voz a um político extremamente agressivo. Ele usou a expressão ‘Tiro no Escuro’ para falar sobre a incerteza das eleições, mas aquilo me soou muito grave e trouxe toda a representação racista que a extrema direita carrega em suas intenções. Escrevi a letra ali mesmo no carro”, relembra. “O (baixista) Leonardo Oliveira já tinha uma linha pesada no baixo que era perfeita pro som. O (guitarrista) Thiko começou a trabalhar as guitarras em cima daquilo e mandamos a ideia daqui de São Paulo para o cara que podia esticar a conversa com as ruas e favelas do Rio de Janeiro”, completa o vocalista.

Às vésperas de finalmente ver sua mensagem chegando a milhares de pessoas através dos apps de música, a banda está empolgada para o lançamento de “Tiro no Escuro”.  “Estamos ansiosos para que o público ouça o som e sinta a intensidade com que tudo foi feito, da música ao videoclipe”, conta Kaneda. “A música para nós é uma arma de libertação, e onde a gente toca a gente sente essa energia junto ao público.”, completa.

Videoclipe

“Tiro no Escuro” chega acompanhada de um videoclipe, dirigido por Luiza Almeida, que será lançado no dia 07 de julho, às 11h, no canal oficial do MV Bill no YouTube.

A banda conta que Luiza abraçou a proposta imediatamente após ser apresentada à música, e fez um roteiro bem minucioso. “Ela não desgrudou do clipe até reunir uma equipe extremamente comprometida com o tema e um elenco que dispensa comentários… entre eles Ândrea Cordeiro, Junior Vieira, Ian Braga, Miguel Nader, Márcio Vito, Diana Behens, Nádia Bittencourt, Raíza Silva, Leandro Martins…”, conta Kaneda.

Sobre a gravação do filme, o vocalista da Asfixia Social comenta: “O elenco foi maravilhoso, a equipe de produção e direção fez um trabalho que torna tudo isso ainda mais especial. Todo mundo conectado com a mensagem da música, artistas comprometidos e de luta. E tudo isso pra gente foi um presente, porque sentimos ali naquela atmosfera essa motivação pra seguir em frente e conversar com as pessoas, tocar ao vivo por todo o Brasil, olho no olho”, finaliza.

Sobre Asfixia Social:

Ao lançar os álbuns “Da Rua pra Rua” (2012) e “Sistema de Soma” (2020), além dos DVDs ao vivo em São Paulo (2013) e ao vivo em Cuba (2015), a banda Asfixia Social ganhou espaço na cena independente e se tornou uma das formações mais ativas do país, com centenas de shows no Brasil e exterior, sendo destaque em festivais nacionais e em países como Inglaterra, França, Holanda, Alemanha, Escócia, Cuba e Portugal. Em 2019, foram mais de 54 shows, 15 na Europa.

Em 2022, foram 40 shows, sendo 20 na segunda tour europeia, onde o grupo lançou o single e clipe ao vivo “They Sold Your Soul”, junto ao selo francês Mass Prod. “Sistema de Soma” foi considerado um dos melhores discos de 2020 pelo site Nada Pop, ilustrado por mais de 1.000 alunos da rede pública de São Paulo ao longo de 3 anos de oficinas de “Poesia, Hip Hop e Literatura”. O álbum de 58 páginas e 10 canções inéditas conta também com colaborações do rapper brasiliense GOG, do trombonista Bocato, do trompetista italiano Gabriel Rosati, da MC paulista Karen Santana, do MC cubano El Cepe, de Mao Jr (Garotos Podres), DJ Tano e Funk Buia (Z’África Brasil), de alunos do grupo Vozes Poéticas, entre outros grandes nomes.

A mistura original de Rap, Ska, Punk, Música Brasileira, Funk, Dub e Hardcore, com letras que retratam o cotidiano e ativismo do grupo na periferia de São Paulo – Brasil, marca a identidade única do Asfixia Social, que culmina toda sua força principalmente na poesia, na cultura de rua e numa sonoridade pulsante. Quem conhece a cena underground já deve ter visto os caras chegando num antigo ônibus grafitado, munido de um Sistema de Som verdadeiramente independente, pronto para dar o recado em praças, casas noturnas, escolas, festivais, bares, centros culturais, ocupações, favelas e em grandes eventos por todas as regiões do país.

Toda sonoridade e ativismo renderam ao grupo diversos prêmios no meio da música e da cultura, com destaque para o Prêmio da Cultura Hip Hop 2014 (Funarte) e Prêmio Especial do Júri do XI Festival de Cinema de Lorena 2015, com o filme “O Sepulcro do Gato Preto”. A banda teve grande destaque também na Bienal de Arte de Havana 2015 (Cuba) e nos festivais River Rock 2017 (Indaial, SC), Rock na Estação 2018 (São Carlos, SP), Semana Internacional de Música 2018 (SP), Mês do Hip Hop 2019 (SP), Festival de Inverno de Paranapiacaba 2019, Treibsand Freiland 2019 (Alemanha), Rebellion Festival 2019 e 2022 (Inglaterra), Punx Picnic 2022 (Inglaterra), Festival Haltpop 2022 (Holanda), Chauffer dans La Noirceur 2022 (França), Punk Rock 77 2022 (Campinas, SP), Punk Rock Rio 2022 (RJ), Rock in Far 2022 (Fartura, SP) e Sabotage Vive 2022 (São Paulo, SP). Foi neste último evento que, após a tour européia, Asfixia Social & GOG encerraram a mini-tour por casas de cultura e festivais de São Paulo, com destaque para as canções “A Cara do Inimigo”, “África Tática” e “Assassinos Sociais”, esta última relançada em videoclipe em referência à clássica canção escrita em 1994 pelo rapper brasiliense.

Para 2023, a banda prepara o lançamento de um novo álbum, a ser gravado no início do segundo semestre no Rio de Janeiro com produção de Pedro Garcia, que já trabalhou com artistas como Titãs, Arnaldo Antunes, Braza, Francisco El Hombre e Duda Beat, além de ser baterista e produtor da banda Planet Hemp. O novo trabalho terá lançamento no Brasil e Europa, consolidando as parcerias internacionais após a segunda turnê do Asfixia Social em território europeu.

O single “Tiro no Escuro” chega em todas as plataformas digitais pelo selo Marã Música.

Sobre Marã Música:

Empresa especializada em Marketing e Relações Públicas, dentro do mercado da música, fundada em janeiro de 2018 na cidade de Jundiaí, no estado de São Paulo. Idealizada e gerenciada por Henrique Roncoletta, vocalista e compositor da banda NDK, a Marã Música atua na conexão de artistas com marcas e empresas, além de atuar também na gestão de imagem, carreiras, projetos, produções artísticas e eventos culturais.

Escrito por Gustavo Neves

Jornalista e empreendedor, atuando como CEO e fundador do POP CYBER. Curso Jornalismo na renomada Universidade Positivo, em Curitiba. Minha paixão pela informação e pela música me impulsionam a criar conteúdo relevante e impactante.

Ame Records encerra junho com lancamentos de Ted Troll e Sone POP CYBER

Ame Records encerra junho com lançamentos de Ted Troll e Sone

Space Animals Capa 2 POP CYBER

Space Animals lança “The Reflection”