Nathy Peluso lança “Aprender a Amar”

Música é a primeira prévia de seu aguardado segundo álbum “Grasa” (24/05)

240409 Nathy Peluso Dia 2 0653 scaled POP CYBER
Sony Music

Nathy Peluso (@NathyPeluso) lançou o novo single “Aprender a Amar”. A música é uma prévia de seu segundo álbum ‘GRASA’, que será lançado em 24 de maio, sendo o sucessor de seu disco vencedor do Latin GRAMMY “Calambre”.

O novo single “Aprender a Amar” é acompanhado por um vídeo oficial dirigido por Agus Puente e produzido por The Movement / Landia. A música é uma ode ao autoamor coescrita e coproduzida pelo artista alternativo indie pablopablo. “É como um mantra que estou dizendo para mim mesma e para o mundo inteiro”, compartilha Nathy. “É essencial e você não pode alcançá-lo da noite para o dia. É um trabalho [contínuo] até o dia em que você morre.”

‘GRASA’ revela uma Nathy mais madura e destemida, que afirma suas capacidades únicas como compositora e intérprete, navegando perfeitamente entre rap, baladas e gêneros tropicais. Pela primeira vez, a artista nascida na Argentina e radicada na Espanha revela um lado mais íntimo e pessoal em suas letras, sem medo de se abrir sobre as dores de crescimento e crises criativas que vêm com a fama, o sucesso e as pressões da fama moderna.

Em espanhol, ‘GRASA’ evoca muitos significados diferentes e subtextos culturais, especialmente em seu dialeto argentino natal, onde a palavra pode significar “brega”, “sem gosto” ou “vulgar”. Mas Nathy, como sua música, não quer se limitar a uma definição: pode ser como ela orgulhosamente exibe seu corpo que não se encaixa no molde das expectativas heteronormativas enquanto publicamente reverencia uma fatia de pizza ou massa em suas redes sociais. Ou poderia evocar a riqueza de seus arranjos musicais, ou até mesmo sua atitude zelosa e comprometida em se envolver totalmente em tudo o que faz. Ela quer reivindicar a palavra e torná-la parte de seu universo: “Para mim é um estado de espírito, um estilo de vida”, diz ela.

Nathy co-produziu e co-escreveu as 15 faixas do álbum. A maioria das faixas é resultado de uma colaboração próxima com o músico e produtor venezuelano Manuel Lara (Kali Uchis, Bad Bunny), que também atua como produtor executivo ao lado de Nathy. ‘GRASA’ tira inspiração visual e estilística de uma ampla variedade de referências – a grandiosidade cinematográfica do folclore da máfia, a salsa de Nova York dos anos 1970, ícones atuais como Kendrick Lamar – mas enraizada em um som contemporâneo. O álbum parece ser a trilha sonora do momento atual de Nathy, enquanto ela ultrapassa limites e desafia expectativas em sua arte. Também é o resultado triunfante de uma jornada profundamente pessoal.

Ela credita seu mentor e amigo, o ícone argentino Fito Páez, por ajudá-la a encontrar seu centro criativo. No verão passado, ela decidiu fazer uma pausa e ir de férias. Nathy e Páez estavam na mesma cidade, e ela confidenciou a ele que se sentia “tão perdida”. Nathy chegou a uma dura compreensão: ela tinha que descartar as mais de 20 faixas que não pareciam certas. Ela sentiu que estava decepcionando sua equipe e todos ao seu redor. Páez a encorajou a encontrar um quadro conceitual para criar nova música. “Algo tão pequeno, tão simples, acendeu algo em mim e me fez focar”, diz Nathy.

Seu aclamado álbum de estreia de 2020, ‘Calambre’, catapultou Nathy para a fama e o sucesso, vencendo o prêmio de “Melhor Álbum Alternativo” no Latin GRAMMY de 2021, marcando sucessos com Bizarrap, C. Tangana e Tiago PZK, tocando no Coachella, esgotando duas arenas Movistar em Buenos Aires e fazendo turnês por toda a Espanha. Mas seu entusiasmo característico e sua ética de trabalho árduo vieram a um custo pessoal. Entre se apresentar, negócios de marca e lançar nova música, em 2022 e 2023 ela rapidamente começou a trabalhar na escrita e produção de novo material que serviria como um álbum de acompanhamento. “Está enraizado em mim, sou uma mulher forte, mas perdi o rumo da minha própria humanidade”, diz ela sobre seus padrões autoimpostos, que, somados às pressões da indústria e a uma série de decepções amorosas, comprometeram sua saúde mental e a deixaram emocionalmente insatisfeita. “Eu era como um robô me dizendo, ‘Sou uma gladiadora’. Mas tive que reaprender a desfrutar das coisas simples da vida que não eram trabalho”.

 

foto de perfil de gustavo neves author do pop cyber

Escrito por Gustavo Neves

Gustavo Neves é um jornalista experiente na cobertura de notícias nacionais e internacionais. Com uma paixão inabalável pela música, tem se destacado em diversas áreas. E-mail: [email protected]

Elana Dara lanca primeiro album de sua carreira POP CYBER

Elana Dara lança primeiro álbum de sua carreira

Revelacao e indicado na categoria SAMBA GRUPO do 31o Premio da Musica Brasileira scaled POP CYBER

Revelação é indicado na categoria SAMBA – GRUPO do 31º Prêmio da Música Brasileira