Connect with us

Música

Rionegro e Solimões comemoram 32 anos de carreira

Avatar

Published

on

PB fotos @marcoshermes scaled
Foto: Divulgação

Não é pra qualquer um. Sustentar uma carreira de 32 anos é um mérito digno de quem tem muito talento, empenho, carisma e de quem é muito amado pela nação brasileira. E é justamente esse aniversário que Rionegro e Solimões comemoram neste 1 de abril. Celebrando mais um ano de dupla, os sertanejos são hoje uns dos principais nomes do Brasil e colecionam sucessos, histórias e boas curiosidades, que fazem questão de dividir com os fãs.

Em um período em que o distanciamento social se faz necessário, os amigos arrumaram um peculiar jeito de carimbar os 32 anos de carreira: diversas ações e interações no Instagram oficial. “Lá soltaremos um vídeo contando toda a trajetória da dupla e nos stories faremos uma série de enquetes divertidas”, comenta Rionegro. “Nossa perspectiva era de soltar um novo produto. Porém, nesse período as coisas estão um pouco mais complicadas. Então, fica em casa e acessa instagram.com/rionegroesolimoes e muintokiben”, completa Solimões.

Em 2020 a dupla se reinventou novamente e de forma remota, lançou uma série de bons produtos no mercado fonográficos. Além das diversas lives executadas com maestria no YouTube oficial, Rionegro e Solimões apresentaram os EPs Só Lembranças 1, 2 e 3 – sendo a quarta parte do projeto lançado já em 2021. “Tivemos a sacada de eternizar as lives de 2020 em um projeto concreto, Só Lembranças – Acústico. Pinçada com todo o cuidado e carinho, a transmissão escolhida para dar forma a este conteúdo foi a realizada no dia 25 de abril de 2020”, comenta Solimões. “Entre todas, foi uma das que mais gostamos de fazer. Como o nome diz, reuniões os principais modões que ambientam o nosso universo. E todos foram executados no formato intimista e acústico. Nada mais justo do que carimbar para as futuras gerações esse momento tão atípico da nossa estrada”, analisa Rionegro.

Comemorando 32 primaveras, é o tipo de dupla que agrada da criancinha que começa a descobrir as notas musicais até às pessoas que alcançam a melhor idade. Não tem uma faixa etária específica para gostar de clássicos populares como “Peão Apaixonado”, “Frio da Madrugada”, “A gente Se Entrega”, “De São Paulo a Belém”, entre tantas outras canções que marcaram e ainda marcam a vida das pessoas.

Quem nunca cantou uma melodia dos artistas em um karaokê, que atire a primeira pedra. “Na Sola da Bota” é um desses clássicos do cancioneiro popular que está na boca de todos os brasileiros, de norte a sul do país. “A música foi lançada originalmente em 2003 e de lá para cá conquistou todos. É sucesso em festa de rodeio, festa de criança e até em casamento eu já ouvir tocar”, diverte-se Solimões.

O carimbo de todo esse sucesso são os números do YouTube – entre os diversos perfis que publicaram os clipes de Na Sola Da Bota, a faixa ultrapassa a impressionante marca de 25 milhões de views. “O povo publica vídeo dessa gravação ao vivo pelo celular de algum show nosso, de coreografia feita pelas criancinhas em festa infantil e até videoaula ensinando os acordes na gaita. Esse é o maior presente que um artista pode ter. Esse reconhecimento popular não tem preço”, analisa o primeira voz.

Rionegro e Solimões completam 32 anos de carreira. Entre coletâneas e registros de sucesso, eles somam mais de 300 músicas gravadas, 19 CDs e 4 DVDs. Nestes anos, já subiram ao palco mais de 7.000 vezes, venderam mais de 13 milhões de cópias e bateram recorde de público em festas de peão. Como reconhecimento, receberam dezenas de discos de ouro, prata, platina e platina dupla. Em tempo: eles foram os segundos artistas nacionais a gravarem um DVD no Brasil.

Alguns de seus sucessos fizeram parte da trilha sonora das novelas Laços de Família (“Peão Apaixonado”, 2000), Cabocla (“Floresce”, 2004), América (“Na Sola da Bota”, 2005) e A Favorita (“Vida Louca, 2008).

“Ultrapassamos 3 décadas de estrada. O artista precisa ter a percepção do que está acontecendo na atualidade e se reinventar quando for necessário. Graças a Deus, meu parceiro e eu conseguimos ter esse olhar crítico e por isso estamos na ativa até hoje”, analisa Rionegro.

Advertisement