Pearl Jam compartilha vídeo sem censura de “Jeremy” no dia nacional de conscientização sobre a violência armada

O Pearl Jam compartilhou a versão sem censura de seu vídeo “Jeremy” pela primeira vez para coincidir com o Dia Nacional de Consciência sobre Violência com Armas na sexta-feira (5 de junho).

O vídeo dirigido por Mark Pellington para a música “Jeremy” – que apareceu na estréia de Pearl Jam em 1991, Ten – conta a história preocupante de um adolescente intimidado que acaba atirando em si mesmo com uma pistola na frente de seus colegas de escola.

“O aumento da violência armada desde a estréia de ‘Jeremy’ é impressionante. Lançamos a versão sem censura do vídeo, que não estava disponível em 1992 com as leis de censura da TV”, escreveu Pearl Jam no Instagram. “Podemos evitar mortes por armas, sejam tiroteios em massa, mortes em desespero, policiais ou acidentais”.

“Jeremy” foi inspirado na história real de Jeremy Delle, de 16 anos, que se matou na frente de seus colegas de classe em 1991, depois de anos de tormento. O vídeo ganhou quatro MTV Video Music Awards em 1993, incluindo o Vídeo do Ano.

O Pearl Jam também está aumentando a conscientização sobre a violência armada através do relançamento da camiseta “Choices” do início dos anos 90, que mostra uma menininha pegando uma pistola em meio a giz de cera espalhados. A parte de trás da camisa original diz: “9 em cada 10 crianças preferem lápis de cera a armas”, enquanto a nova versão afirma “10 em 10 crianças preferem lápis de cera a armas”.

O produto das compras irá para a Vitalogy Foundation da banda, que trabalha com organizações de todo os EUA para reduzir a violência armada. O Pearl Jam lançou seu último álbum, Gigaton , pela Monkeywrench / Republic Records no final de março. O conjunto estreou em primeiro lugar na parada de álbuns de rock da Billboard e ficou entre os cinco primeiros da Billboard 200.

Lil Wayne narra suas experiências com a polícia, incluindo o policial branco que o salvou quando ele tinha 12 anos

Katy Perry surpreende fã brasileiro no ‘Caldeirão do Huck’