Connect with us

Música

Ludmilla lança “Rainha da Favela”, seu novo single com clipe gravado na comunidade da rocinha

Published

on

855fc57f 2b3b 4ab1 b511 d733919b70c9

“Rainha da Favela” (Warner Music Brasil) é o nome do mais novo single de Ludmilla que, após apresentação em primeira mão da faixa no Prêmio Multishow, é lançado oficialmente nesta quinta-feira, 12 de novembro, em todas as plataformas digitais. A novidade é a nova aposta da cantora após o aplaudido EP de pagode “Numanice” e chega com a promessa de fazer o Brasil dançar numa ode de enaltecimento às mulheres batalhadoras, principalmente as que vivem em comunidades. Em “Rainha da Favela”, escrita por Ludmilla, Cabrera e Pablo Fierro – Lud e Cabrera, aliás, repetem a dobradinha de sucesso já vista em “Tua Raivinha” – a ideia é tratar do poder de escolha e da segurança das mulheres em relação aos homens. “Novos tempos, né, galera? Além de empoderada, essa é uma música muito contagiante e que eu espero que faça a alegria também de meus fãs” – diverte-se a cantora.

Gravado na Rocinha, maior comunidade do país, a faixa ganha videoclipe dirigido por Felipe Sassi, roteirizado pelo diretor e por Ludmilla e conta com as participações especialíssimas de Taty Quebra BarracoValesca PopozudaMC Kátia A Fiel e MC Carol de Niterói. O intuito de trazer o quinteto para participar do clipe é fazer uma reverência a essas artistas tão importantes para o cenário do funk, todas mulheres inspiradoras e precursoras para o segmento do funk feminino – bem como mostrar e enaltecer as muitas mulheres de comunidade – batalhadoras e vencedoras – que vivem no país.

Conhecida como “Fiel do Funk”, MC Kátia explodiu nos anos 2000 nas paradas de sucesso e abriu caminhos, cantando letras que defendiam a liberdade feminina do funk; já Taty, uma das precursoras, ganhou notoriedade em 1998, quando explodiu com os versos ‘eu fiquei três meses sem quebrar o barraco, sou feia mas tô na moda”; Valesca Reis Santos, conhecida como Valesca Popozuda, foi vocalista e dançarina do grupo Gaiola das Popozudas, e emplacou vários hits até tornar-se referência; para finalizar, MC Carol de Niterói é o nome artístico de Carolina Oliveira Lourenço, conhecida por explorar em suas letras temas de cunho social, ideias de duplo sentido, além de lançar mão de muito humor.

“Tantas portas foram abertas graças à estas mulheres maravilhosas. E eu não posso negar que isso também me ajudou a escancarar tantas outras. Logo, quis mostrar para o público quem são as minhas rainhas” – afirma Ludmilla. Na filmagem, elas fazem uma roda de funk e confraternizam sentadas à mesa de um bar, no que será uma espécie de roda de funk, com frango assado, farofa, salada de batata e outros pratos em louças ostentativas e, claro, mostra a favela, seus becos, vielas, cores e  alegria. Um lugar que Ludmilla acha muito propício para encontrar verdadeiras rainhas, mulheres que batalham demais para manterem a si e aos seus: “É nas comunidades que moram as verdadeiras rainhas para mim, é da favela que saem as mulheres mais raçudas que já conheci e por isso essa homenagem às mulheres da favela” – conclui, a cantora.

 

Advertisement
Advertisement