Vai ter mulher nos principais palcos de música eletrônica, sim

Não existem muitas mulheres DJs e produtoras musicais no Brasil…’ Mito ou verdade? É a resposta para esta pergunta que traremos ao longo dessa reflexão. É comum que afirmações como essa acima sejam feitas quando questionamos o porquê da ausência de projetos femininos nos line-ups dos principais clubs e festivais do país. Num mercado estruturalmente comandado e feito por homens, a presença das mulheres na cena eletrônica, seja na linha de frente, em cima dos palcos ou no backstage, ainda é infinitamente inferior quando comparada a de homens.

Cientes de que o privilégio masculino abre portas para que os DJs e produtores homens tenham muito mais oportunidades que as mulheres, um time de artistas brasileiras se une em manifesto: o grupo ‘SOMUS’ disseminou na última segunda-feira (13), um vídeo em que 65 DJs e produtoras musicais brasileiras mostram sua técnica, música e sua história, tudo isso, somado ao desejo de transformar a realidade do music business que fazem parte.

Nesse manifesto em formato de vídeo, idealizado e comandado pela DJ e produtora musical Ella De Vuono, em parceria com Bruna Antero, co-fundadora do site WE GO OUT, 65 mulheres respondem através da música perguntas ainda recorrentes:

‘Será que existem produtoras musicais no Brasil?’ Existe!

‘Tem DJane experiente capaz de comandar as pistas de dança mais exigentes?’ Tem!

E DJane que toca com vinil ou faz liveset? Tem também, e não são poucas.

Tem mulher com mais de 20 anos de carreira e tem DJane de diversas vertentes: House Music, Tech House, Techno. E também tem DJane Open Format, pra ninguém falar que falta alguma coisa.

Elas também estão no comando de clubs, labels e editoras… em sua diversidade, todas essas mulheres têm algo em comum: a busca pela equidade de gênero nos palcos Brasil afora.

“Viemos para questionar esse ‘status quo’ de que não existe mulher na música eletrônica, e de que participamos apenas ‘por cotas’. Queremos reconhecimento e valorização artística e profissional.”

A intenção do coletivo é clara: tomar a parte do espaço artístico que lhes compete e garantir que as oportunidades sejam as mesmas, independente de gêneros.

Quando essas mulheres se unem e trazem provas concretas com dados e fatos para as perguntas e justificativas ainda recorrentes por muitos players do mercado, elas se fortalecem e transformam a realidade que as cerca. Juntas, elas não apenas somam conquistas e milhares de histórias para contar (além dos milhões de plays nas plataformas de streaming), como também abrem espaço para que a próxima geração de talentos possa vivenciar uma realidade mais justa, um caminho mais claro e com mais chances de realização.

Realização: @wegoout e @elladevuono
Apoio: @somus e @welike_digital
Trilha: @elladevuono e @groovedelight
Design e Motion: @biavarellamusic e @thelaurasa
Artistas: @aninha.music @dj.anny.b @anatattymusic @euarraya @azvleticia @thaisbarja @b4rbramusic @beahoficial_ @biavarellamusic @blancahmusic @brunastrait @camilajun @camilavargasdj @camillabrunetta @caroolfavero @carolseubert_ @creekoficial @curol @djdebora.c @ekantajake @eliiwasa @elisasamaral @elisa.audi @elladevuono @etceteradj @fraaan.music @franprado.music @djfrancesca @fromhousetodisco @gabibahia @gabigiordan @gracegreymusic @groovedelight @halzduo @ingrydgobbo @jessbenevides @jess.yonica @kelly_moreeira @kenya20hz @kesiamusic @brunalapax @leboxmusic @lowezmusic @marirossi @marymeskmusik @maryolivetti @marymroman @djmissma @molothav @monicsound @nataliazaneti @_nickdj @nyellamusic @paulamaldi @djpauly_ @priciladiazmusic @samferrymusic @djsamhara @sarahanderss @djscardua @stehtrizotte @womahmusic

Não existe espaço para mulheres DJs e produtoras musicais no Brasil…’ Mito ou verdade? Deixamos a resposta com vocês.

Written by Redação

Trazemos diariamente conteúdo original e informativo para o público que quer acompanhar, em tempo real, os acontecimentos no cenário do entretenimento nacional e internacional.

Roddy Ricch lança álbum “Live Life Fast”

Kevinho lança o hit “Solinho”