Connect with us

Música

Omi Okun faz música de resistência no EP de estreia

Avatar

Published

on

O santo e o profano se encontram no som de Omi Okun, trio carioca fortemente influenciado pelos sons afro-religiosos e que une a percussividade dos terreiros com um olhar popular sobre a música brasileira moderna. Após gestar suas canções ao longo dos últimos dois anos, o projeto ganha forma com seu primeiro álbum, homônimo, já disponível nas plataformas de streaming de música.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Uma cozinha roqueira guia os três percussionistas convidados. Virgilio dos Santos (vocal e violões), Dudu Bierrenbach (baixo) e Bruno Rabello (bateria) recebem Alexandre Munrah, Andre Alade e Jahi Oliveira ao longo de seis faixas. Virgílio e Bruno são amigos de longa data, mas Omi Okun surgiu quando o vocalista e violonista mostrou algumas canções que havia composto ao baterista. A ideia de compartilhá-las com outros intérpretes acabou dando lugar a um novo projeto em outubro de 2018. No início do ano seguinte, o trio ganhou sua última parte: o baixo de Dudu, com quem Bruno havia tocado na banda Tamuya Thrash Tribe.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na preparação final das gravações, eles conheceram os três percussionistas que vieram para completar a proposta, cuja força motriz é a pesquisa musical em torno da sonoridade sacra afro-brasileira, suas influências e vertentes na música popular tradicional e na música contemporânea de massa. São canções feitas para ouvir durante a travessia, seguindo a mudança das marés.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Além dos três singles já revelados – “Onã”, “Azulzin” e “Oxê” -, o trabalho inclui as inéditas “Solo sagrado”, “Omi” e “Cantoria”. Unindo diferentes gerações, Omi Okun repagina influências que vão de Tincoãs, Maurício Tizumba, Nei Lopes, Candeia, Mestre Darcy do Jongo a O Rappa.

“As canções falam de como o nosso cotidiano está impregnado pela herança cultural-religiosa afro-indígena e como há encantamento, poética e magia em todo nosso cotidiano. Temos a consciência da importância fundamental falar desse tema em tempos tão turbulentos como nosso, em que o racismo e a intolerância religiosa atuam deliberadamente para macular, desonrar e demonizar esses saberes ancestrais. Esse é nosso início. É o ‘Big Bang’ do nosso multiverso. Com a pandemia, fomos forçados a parar e refletir sobre  outros aspectos da nossa arte; nos conectarmos ainda mais com a nossa  proposta. O resultado foi um amadurecimento maior de todos os aspectos  de nosso discurso musical”, revela o grupo, que assina coletivamente a  produção musical do álbum.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Omi Okun faz de seu primeiro trabalho uma impactante declaração de resistência e uma intensa celebração dos cantos, ritos e fé que fazem do nosso um povo de muitas devoções – e uma delas é a música. “Omi Okun” já está disponível nas principais plataformas de streaming.

Jornalista, 23 anos, produtor de conteúdo, trabalho com marketing digital na indústria fonográfica. E-mail: [email protected]

Música

Zé Vaqueiro lança clipe de “Nunca Foi Amor”

Avatar

Published

on

Foto: Divulgação

Um dos principais nomes do forró, o cantor Zé Vaqueiro lançou o clipe da música “Nunca Foi Amor” nas plataformas digitais. Com um ritmo bem animado, o lançamento traz o piseiro característico do artista, além de possuir o som do sax na base. A canção é uma das novidades do EP Visual do forrozeiro, gravado no Colosso Fortaleza. Além do single, o projeto visual ainda conta com canções como “Cangote”, “Tenho Medo” e “Confidencial”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Dono de números expressivos, Zé Vaqueiro tem consolidado a carreira cada vez mais com canções de sucesso. Presente no repertório do forrozeiro, o público pode curtir canções como “Tenho Medo”, “Confidencial”, além do megahit “Letícia” que soma mais de 175 milhões de visualizações no canal oficial. A novidade está presente em todas as plataformas digitais e pode ser conferido:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Um dos nomes mais fortes da nova geração da música, o cantor Zé Vaqueiro já é referência no forró por levantar a bandeira do ritmo piseiro. Natural de Ouricuri, sertão de Pernambuco, o artista é forrozeiro desde criança e hoje vive o seu melhor momento na carreira com apenas 22 anos. Compositor de hits que ganharam as paradas de todo o país, Zé Vaqueiro assina canções como “Vem me Amar”, que foi regravada por vários artistas de alcance nacional. Hoje, o cantor integra o casting de artistas da produtora Vybbe, que o comandante Xand Avião a frente do projeto.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Continue Reading

Música

“Loco”: Anitta anuncia lançamento de seu novo single

Avatar

Published

on

Foto: Divulgação

Anitta causou na web nesta segunda-feira (25) ao compartilhar a capa oficial do single “Loco”, que estará disponível em todas as plataformas digitais nessa sexta-feira (29). “Loco” tem produção de DVLP.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na tarde de hoje, ‘Neve no Brasil‘ e ‘Anitta faz alguma coisa‘ foram alguns dos assuntos mais comentados no Twitter, e a cantora usou as redes sociais para garantir que não tem nenhum dueto vindo por aí, como alguns fãs especularam.

Capa oficial do single “Loco”

 

Continue Reading

Música

Autor do livro “Tutorial Do Artista Independente”, Anderson Souza apresenta “This Is My Destiny”

Avatar

Published

on

Foto: Divulgação

DJ, produtor musical e também escritor do livro “Tutorial Do Artista Independente”Anderson Souza lança agora a gravadora Sonora Records. O primeiro release da label é a track “This Is My Destiny”, com os vocais de Érica e participação do guitarrista Luan Junca. A música também ganhou um videoclipe incrível com estrutura de show.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“This Is My Destiny” traz uma mensagem especial para aqueles que estão perdidos. “A produção da música veio com a ideia de mostrar para as pessoas que há uma solução para tudo e que embora estejam perdidas, com o tempo irão se encontrar. É como diz um trecho da faixa: ‘Sinta o caminho, você não está perdido, feche seus olhos e encontre o seu destino’”, conta Anderson, que se inspira em Avicii, Armin van Buuren e Vintage Culture em suas produções.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sobre a colaboração com Érica e Luan Junca, o produtor comenta que a cantora fez um excelente trabalho com sua voz marcante e um alto alcance vocal, o que é característico dela. O guitarrista, por sua vez, como excelente profissional que é, contribuiu para dar um toque especial na track.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Com o lançamento da gravadora, Anderson convida os artistas a enviarem suas músicas para a label, o que condiz muito com a mensagem do primeiro single lançado. “Se você consegue transmitir sentimentos através da música, seja bem-vindo a Sonora Records”, afirma. Além disso, ele também lançou a Sonora Vibes, que pretende divulgar artistas, lançamentos e notícias sobre o cenário eletrônico.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Já sobre “Tutorial Do Artista Independente”, o livro escrito pelo DJ, que tem suporte do conceituado guitarrista Marcinho Eiras, tem como intuito auxiliar e esclarecer dúvidas que músicos costumam ter em relação a registro de faixas, arrecadação dos direitos autorais e diferentes conteúdos relacionados ao mundo da música, servindo para iniciantes e também artistas mais avançados.

Confira já o resultado de “This Is My Destiny” de Anderson Souza e acompanhe os próximos lançamentos da Sonora Records.

Continue Reading
Advertisement