Connect with us

Música

O Tech House nacional ganha uma grande peça, conheça Këra

Avatar

Published

on

“Para mim, música de qualidade não é só a produção extraordinária ou a mixagem altamente técnica, mas sim, as melodias bem estruturadas e construções que mexem com a alma de quem está escutando. Música tem a ver com os sentimentos e eu sinto que muitas vezes, as maiores músicas são produzidas e tocadas exatamente para elevar o ouvinte a algo parecido com o que o DJ sente ou quer transmitir”, explica Këra, projeto de Francisco Mendonça, de 24 anos, que chega ao cenário nacional com uma proposta ímpar.

Advertisements

O jovem artista teve seu primeiro contato com a música eletrônica em 2017, quando morou na Califórnia – EUA, onde escutava muito Dubstep devido a quantidade de eventos desse gênero por lá. Desde então, Francisco começou a apreciar outros estilos mais técnicos, como os derivados do Techno e do House. Quando voltou ao Brasil, em 2018, passou a frequentar praticamente todos os grandes eventos e festivais por aqui. Foi quando Këra encontrou sua paixão e passou a apreciar muito mais o Tech House e o Techno Melódico.

Advertisements

“A construção e as reviravoltas inseridas nesses estilos são de tirar o fôlego quando feitas por produtores diferenciados. Estes dois gêneros se tornaram praticamente essenciais para mim e para o meu dia a dia. Acordo e vou dormir com fones de ouvido e, salvas as exceções, estou procurando novas músicas 24/7”, conta Këra.

Dentro do Tech House, o jovem DJ se inspira em Dennis Cruz, NightFunk, Eddy M, Michael Bibi e Eli Brown, para citar alguns. Para Këra, construir as músicas com muita intensidade, graves ressaltados e drops pesados é essencial, desde os remixes muito bem produzidos, até suas tracks originais que se destacam em meio ao mesmismo. No Techno, ele se inspira em Tale Of Us, ARTBAT, Adam Beyer e Carl Cox, pois esses artistas produzem músicas com construções absurdas, muitas vezes de arrepiar e tirar o fôlego. No Deep House, Ben Böhmer, Lane 8 e Tinlicker cativam o coração de Këra, pois produzem algo mais melódico, que mexe bastante com os sentimentos do ouvinte.

Advertisements

Mas o que mais impressiona o artista são os DJs que tem o seu próprio estilo e praticamente com seus próprios “sub-gêneros”, são capazes de manter as propostas de envolver o público por completo com maestria e bastante destaque. Todos produzem músicas de altíssima qualidade e que se encaixam em praticamente todos os momentos e sets possíveis, sendo eles Billy Kenny, Tale of Us, Hot Since 82, Boris Brejcha e Dennis Ferrer para mencionar alguns.

Advertisements

Recentemente, Këra produziu um vídeo, com um set de 1 hora que esbanja qualidade. “Eu sempre gosto de tocar o que eu amo, o estilo que eu curto mesmo. Nesse set, tentei fazer uma passagem dos subgêneros do Tech House pra mostrar um pouco de tudo! Eu queria passar uma vibe dançante e animada. Transparecer que o Tech House pode abranger muitos estilos e que dá pra agradar a todos de alguma forma. Meu objetivo sempre é transmitir o meu amor pela música e ao mesmo tempo, tirar todo mundo do lugar!”, explica Këra.

Advertisements

Jornalista, 23 anos, produtor de conteúdo, trabalho com marketing digital na indústria fonográfica. E-mail: [email protected]

Advertisements