Categories: Música

Luisa Sonza desabafa na estreia do Pop Story, primeiro podcast do Zeca Camargo

Uma boa menina faz assim: Luísa Sonza é a artista que estreia o novo podcast original da Deezer, o Pop Story , apresentado por Zeca Camargo. O programa, que contará com episódios semanais, sempre às quartas-feiras, trará os artistas mais quentes da música num bate-papo sem censura e que vai muito além das vidas no palco, com o apresentador.
Gravado a distância durante a quarentena, Zeca conseguiu em cerca de 20 minutos tirar histórias pouco conhecidas de antes e depois da fama da estrela, que deu a entrevista sozinha em casa, após ser diagnosticada com Covid-19, e foi sincera e sensível ao abordar assuntos como relacionamentos, haters, criação de músicas, e outros.
“A Deezer conseguiu juntar o que tem mesmo de melhor no pop brasileiros de agora para esse podcast! E o mais legal é perceber que são artistas que estão no controle das suas carreiras. A gente tem falado bastante de música, claro, mas é muito legal ver como eles também estão preocupados não só em como eles vão crescer como artistas, mas também na influência que eles sabem que têm com seus fãs – e a mensagem que eles querem passar adiante. Fiquei surpreso, de maneira positiva, ao ver como talentos gigantes estão pensando na imagem que eles transmitem. O mais legal do Pop Story é essa conversa que mistura música e ideias”, diz Zeca Camargo.
Luísa começou relembrando sua personalidade na infância: “Gostava de atuar pra minha família. Sempre fui muito espoleta, não parava de conversar. Era a que conversava demais, líder da sala, presidente do grêmio estudantil, espalhafatosa”, conta.
A “bola de criatividade aos 22 anos”, definição carinhosa de Zeca à Luísa, revelou que nem imaginava que poderia estar com Covid-19, foi realmente um susto. “Eu zero desconfiei. Eu tinha um clipe para fazer com Léo Santana, e a gente faz os testes sempre que vai fazer um trabalho, conforme as recomendações da OMS”.
Otimista, ela tentou tirar da situação um lado bom, o tempo que teve para aproveitar sua nova casa e evoluir com os trabalhos. “Se fosse situação normal, talvez nem tivesse entrado na piscina da minha casa. Fiz muita música por facetime, uma coisa que nunca tinha feito. Tinha que seguir com os projetos, como qualquer outro trabalho, tinha que entregar”, revela a artista.
Quando questionada por Zeca sobre como lida com tantas críticas que recebe vias redes sociais, Luísa foi firme. “Cara, eu tenho uma frase que é a seguinte: ou irei entender uma estrutura social doente, ou ficar doente. Aí decidi escolher a estrutura, entender que não é algo pessoal, que aconteceria com qualquer pessoa que estivesse no meu lugar assim como acontece com você que é pessoa pública. Quando comecei na internet com 17 anos, novinha, eu pensava “Por que comigo? Por que as pessoas falam assim de mim, sobre mim, todas essas mentiras? E aí com o tempo fui entendendo que fariam com qualquer um”, diz.
“E como formou esse pensamento?”, questiona o apresentador. A resposta é direta: Terapia. “Fui entendendo muita coisa sobre mim, terapia é algo muito importante, não é só sobre resolver problemas, é sobre evoluir você como pessoa”, conta a artista, revelando que tem semanas que faz terapia mais de uma vez, e já está nesse processo há cerca de 3 anos.
Como boa canceriana, Luisa conta que tudo que faz vem de um lado muito pessoal. “‘Olhos castanhos’ foi uma música romântica que fiz sozinha. ‘Boa menina’ usei de um sentimento de raiva, são metais pesados, uma música mais imponente. Em boa menina não falo sobre um cara, é sobre a sociedade, várias pessoa que estavam falando sobre mim e eu não aguentava mais. É uma música que não parece, mas para quem quiser saber, partiu de um lugar bem emocional, buscando divertir as pessoas e me divertir também”.
O assunto relacionamento também não ficou de fora. Luisa contou pra Zeca que se pudesse, esconderia. Como não é possível, escolhe levar com naturalidade. “Independente de como seja, com quem seja, se eu sentir vontade de falar sobre eu falo, se eu não sentir vontade eu não falo. É ruim viver escondido, vira uma apreensão, então acho que minha vida pessoal deve ser tratada com naturalidade e nunca ser algo maior do que meu trabalho, pois eu sou uma pessoa pública pela minha música, e não pelo que eu faço ou não”, desabafa.
Para finalizar, Zeca pede para que Luísa deixe um recado para as meninas que acompanham ela, e Luisa nem precisou pensar: “Prefira acreditar na sua verdade do que na mentira dos outros. Se ame com cuidado, se perdoe quando errar e tente melhorar a cada dia”, aconselha.
A produção de ‘Pop Story’ é assinada por Flora Paul, Non-Music Content Editor, e Bernardo Bassin, Artist Marketing Manager, que uniu os times de conteúdo num desafio incrível de aproximar artistas aos seus fãs. “Zeca é incrível, muito animado e espontâneo, e mergulhou de cabeça no projeto que criamos pensando nele. Mesmo sendo super multimídia, essa é a primeira aventura do apresentador no mundo de podcasts, e é natural que seja em uma produção original da Deezer. Queremos trazer cada vez mais conteúdos exclusivos, empolgantes e envolventes com a cara dos nossos usuários”, conta Flora.
Ficou curioso? clique aqui e descubra mais sobre esses e outros segredos da Braba.
Tags: Luísa Sonza
Gustavo Neves

Jornalista, 23 anos, produtor de conteúdo, trabalho com marketing digital na indústria fonográfica. E-mail: contato@portalpopcyber.com

PUBLICIDADE