Conecte-se conosco

Música

Long Beatz lança single e clipe “Janta”

Publicado

em

Long Beatz lança single e clipe 22Janta22 scaled e1639917902586
(Foto: Divulgação)

Long Beatz chega mandando os beats para o novo talento feminino do rap servir a “JANTA”. Focando agora em sua faceta compositor e produtor, ele convidou Lili AM para fazer uma curadoria matadora e reuniu na canção nomes fortes da cena como MacJulia, a Dona Onça, a própria Lili AM, Mari MelloAnanda Gabz em uma música composta por ele e Mac Julia, que chega junto a um clipe que exala sensualidade.

Gravado no estúdio ASIGLA e com direção de Junior Cabelo, o single mostra as MCs à vontade, interagindo e sensualizando em meio a muita fumaça, luz negra, curtição e beats afiados.  A música foi produzida por Long Beatz e Victor Wao.

Na letra, empoderada que Long assina junto a Mac Julia, versos divertidos como “Coração tá partido, isso quer dizer que posso ter dois maridos” se destacam. E se unem, no vídeo que acompanha o lançamento do single, a uma estética com um quê de instagramável, servindo vários closes, um quê da contemporânea estética glitch e até de invasão da intimidade, com uma câmera que traz o público para dentro desse ambiente espontâneo, cheio de sedução e entorpecimento.

“Reunir essas mulheres que representam para a cena do rap é um jeito de exaltar a voz e fazer justiça ao trabalho tão importante que elas vêm construindo e, ainda, fazer um som de qualidade, sexy e muito envolvente”, diz Long sobre o projeto.

É a primeira vez que o artista reúne um elenco exclusivamente feminino – e que elenco: nomes com um público cativo dentro da cena. Mac Julia, conhecida como Dona Onça, por exemplo, conta com 1,8 milhões de ouvintes mensais e 90 mil seguidores no Spotify, tendo uma trajetória no movimento hip hop que começou por meio do grafite e seu EP de estreia, “Suasória”, é de 2018. Seu single “Sofá, Breja e Netflix”, com participação de Pejota, tem 21 milhões de streamings. Seu EP “Sextape: Love me two times”, traz oito faixas que homenageiam os anos 1970 em seu som, sem deixar de lado o trap e o flerte com ritmos latinos. Nesse trabalho, feats com nomes da cena do rap mineiro como Laura Sette e OGCapitu são marcantes.

Trazemos diariamente conteúdo original e informativo para o público que quer acompanhar, em tempo real, os acontecimentos no cenário do entretenimento nacional e internacional.

Publicidade