Future Mangue Boy: da comunidade grandes projetos de produção visual

Quase 10 anos atrás, Jhonatas Magnum começou a trabalhar com fotografia para os artistas da música eletrônica. O pernambucano da comunidade de Casa Amarela, em Recife, visualizou que existia uma tendência de crescimento na música eletrônica: o trap music, que engloba o hip hop. “É uma crescente avassaladora, quando chegou aqui eu comecei a me desenvolver dentro desse ritmo na minha comunidade”, lembra.

O trabalho desenvolvido dentro da comunidade chamou atenção e o artista começou a estudar, também, as inovações do audiovisual. “Comecei com o VFX, que cria efeitos especiais. Eu entendia que a maioria das pessoas aqui têm a mesma leitura visual, então procurei inovar na edição de videoclipes e na correção de cor para trazer uma surpresa”, explica.

No mesmo ano, o artista teve parcerias internacionais e assim, conseguiu expandir seu trabalho para fora do estado. “Eu sempre fui filho do movimento manguebit, que foi uma revolução popular para a época. Ele trouxe uma nova musicalidade, isso perdura até hoje e agregou muito para o meu trabalho. Tenho a permissão de brincar em diversos tipos de gêneros e subgêneros”, conta.

1 ano atrás, o Future Mangue Boy, como é conhecido, entrou para o time da Utnick Production, onde tem a oportunidade de trabalhar e ver crescer outros artistas. “É um trabalho de crescimento da música periférica, a Sophia Utnick se permite a abranger diversos tipos de gênero, gera inclusão social e agrega valor tanto na musicalidade quanto na vida pessoal de cada pessoa”, orgulha-se o produtor visual.

Com a Utnick Production, o artista conseguiu alcançar mais de 50 milhões de visualizações em suas produções e viajar por todo o nordeste brasileiro. “Eles levaram o meu nome para vários noticiários, conseguimos levar o bregafunk para vários lugares novos, foi um sonho realizado”, relembra. Para o futuro, Mangue Boy pretende entrar no mundo do cinema. “Sonho em ser diretor de cinema, não quero deixar o music vídeo de lado, mas quero juntar tudo que eu gosto e agregar valor à cultura pernambucana dentro do que vou realizar”, explica.

Sobre Sophia Utnick

De família humilde, Sophia Utnick é uma empreendedora e paisagista conhecida nos Estados Unidos por suas empreitadas de sucesso. No Brasil, a, também, produtora musical é responsável por revelar talentos nordestinos e cuidar das carreiras de artistas que conquistam cada vez mais espaço no mercado nacional.

Belo apresenta show 360 no Expo Barra Funda, em São Paulo

Nathalia Bacci fecha EP de estreia “Tranquila” com parceria de americano Brandon Louis