Conecte-se conosco

Entrevistas

Entrevista: LARI LUKE lança “Boys”

Publicado

em

LARI LUKE scaled

Depois de lançar o hino energético “On Top of the World” no Verão, juntamente com PollyAnna, LARI LUKE está a trocar a energia na pista de dança com a sua próxima faixa “Boys”. Se ‘brincalhão’ e ‘banger’ pudessem ser usados na mesma frase para descrever uma faixa – seria isto! Bass house na sua forma mais pura, as vozes de LARI LUKE contam “todos os rapazes que ela tem” sobre uma linha de base palpitante e sintetizadores tumultuosos.

Entre os milhões de riachos nas suas faixas originais, uma nomeação para o Premio Nova Música 2021, reservas em festivais de topo como Lollapalooza, e espectáculos a solo na cena do baixo esgotados com meses de antecedência, LARI LUKE ganhou certamente os seus holofotes.

Entrevista:

Você acaba de lançar a faixa “Rapazes”. Qual é a sensação de poder levar esta nova canção ao público?

É muito especial poder ver as pessoas realmente dançando minha nova música novamente, depois de ter sido trancado por causa da COVID.

Conte-nos um pouco sobre o processo de criação deste novo single?

Depois de lançar algumas músicas com uma mensagem profunda, eu quis fazer uma canção que fosse divertida e que também tivesse o habitual som LARI LUKE Bass House.

Explique um pouco sobre por que “brincalhão” e “banger” descreveriam esta nova faixa? Do que se trata “Boys”?

“Boys” é uma música sobre a contagem literal de “todos os meninos que eu tenho”. É claro que não é para ser levada a sério. Normalmente não carrego os meninos comigo no bolso ou os tenho sentados na minha banheira o dia todo esperando por mim. Mas eu achei engraçado imaginar onde alguém poderia esconder “todos os meninos que eles têm”.

Podemos esperar um vídeo musical?

Você pode assistir ao videoclipe com uma ótima filmagem ao vivo de mim tocando a música pela primeira vez no clube, no meu canal do YouTube.

Quão especial é esta faixa para você?

É muito especial porque a música é muito divertida e tem um bom som de baixo. Eu não preciso de mais na vida.

Como começou sua história com a música?

Comecei a tocar minhas canções autoescritas em um violão em pequenos bares de Barcelona, onde estudei por dois anos. Mas depois de alguns anos comecei a gostar de música baixo, então coloquei o violão de lado e comecei a ser DJ.

Quem são suas maiores inspirações na música?

Flume e Ekali, porque sua música e suas apresentações ao vivo me intoroduziram para o mundo do (Futuro) Baixo.

Quais são os próximos passos? o que podemos esperar?

Mais música, é claro, e grandes shows em muitos festivais no próximo ano!

 

Trazemos diariamente conteúdo original e informativo para o público que quer acompanhar, em tempo real, os acontecimentos no cenário do entretenimento nacional e internacional.

Publicidade