Connect with us

Música

Violão, dengo, cachos e amor: ouça o novo disco de Vini Maués

Published

on

Vini Maués scaled

Vini Maués acaba de divulgar seu primeiro e autointitulado EP. Disponível em todos os aplicativos de música, o trabalho é um registro de algumas das suas primeiras composições. Gravado no estúdio da FATEC de Tatuí-SP por Eduardo Spinelli, projeto conta com a consultoria musical de François Muleka e a participação do clarinetista Will Mazzini.

“Esse é um trabalho que foi construído ao longo dos últimos três anos, de forma totalmente independente. Surge como primeiro registro de um desdobrar artístico recente e pessoal, com canções que ilustram e refletem o fim de um relacionamento passado. É o retrato de um recorte temporal em minha vida”.

Na base, um violão de timbre cheio e grave mantém a tocada carregada de sentimentos, ora enérgicos, ora brandos. A voz, de tom suave, é acompanhada pelo clarinete arranjado em improvisação com base em elementos da música popular brasileira e do jazz. Um a um, são esses os elementos que brincam com os contrapontos, embalando o ouvinte por uma viagem introspectiva e reflexiva aos confins de um relacionamento que se vê próximo do término.

Nas letras de “Colômbia, “Tento” e “Inseparável”, artista trabalha de forma intimista e romântica as diversas inquietações e angústias que acompanham o processo de separação. A perspectiva da saudade, incerteza do futuro, dificuldade em lidar com o rompimento, vontade de esquecer e, finalmente, a aceitação do destino, seguida do reconhecimento de sua beleza.

Pautando um som brasileiro e contemporâneo, Vini Maués busca se projetar como um dos nomes da nova mpb independente, com influências de Phill Veras, Cícero e Rubel. No entanto, suas inspirações encontram ainda mais força em figuras como Chico César, Geraldo Azevedo e Djavan. Paulista, mas de família paraense, cantor ressalta ainda outras referências: o carimbó de Pinduca e o brega de Wanderley Andrade.

Advertisement
Advertisement