Connect with us

Música

Vídeo mostra Salvador da Rima sendo enforcado pela polícia até ficar roxo

Avatar

Published

on

salvador 2021

Um vídeo mostra Salvador da Rima sofrendo uma série de golpe com a camisa rasgada, enquanto amigos e sua namorada tentando defendê-lo, sem sucesso, sendo agredidos também. Até o momento, um vídeo de 1 minuto registrando o acontecido vinha circulando a internet, mas um amigo do artista, conhecido como MC Jeh da 6, publicou um vídeo com mais de 4 minutos registrando toda ação truculenta de autoridades.

Em registro, Salvador aparece sendo ainda agredido pela polícia, sem conseguir oferecer qualquer tipo de reação, chegando ser enforcado a ponto de ficar com a face roxa. Sem muitas explicações para amigos do rapper tentando intervir na ação, autoridades tentaram dispersar todos com gás de pimenta e uma postura ofensiva com cassetete, enquanto Salvador aparece sendo literalmente jogado sem qualquer cuidado dentro de camburão.

Por: Rap 24 Horas

Salvador da Rima se destaca em parcerias, de batalhas de rap na rua a hit de funk com Alok

Gabriel Salvador pensou em virar MC aos 15 anos, quando descobriu as batalhas de rimas de rappers na Zona Leste de São Paulo. Ele virou o Salvador da Rima e se criou no terreno fértil entre o rap e o funk paulista. Hoje, aos 19 anos, já emplacou várias parcerias de sucesso.

O artista estourou na cena de SP com o funk coletivo “Vergonha pra mídia”, lançado em abril de 2020. Um sucesso maior ainda veio no fim do ano: “Cracolândia”, parceria com o DJ Alok, Djay W e os MCs Hariel, Davi, Ryan SP.

O estilo combativo de Salvador da Rima é herdado dos Racionais MCs e renovado pela popular batida do funk de SP.

Sobre “Cracolândia”, ele diz: “A ideia era falar sobre as coisas que podem iludir a gente que mora na comunidade. O Brasil em que a gente vive tem uma realidade difícil, onde o crime e as drogas são presentes no nosso dia a dia e aparecem como uma ilusão. A gente fez um som consciente e o pessoal abraçou.”

“O impacto de uma música como essa é muito grande para mim, faz diferença mesmo. Outro hit pode até bater o mesmo número, mas não muda a sua carreira como ‘Cracolândia’, e também ‘Vergonha pra mídia'”, ele defende.

Advertisement