Connect with us

Música

Theo Bial e Yan Cloud homenageiam Di Melo no EP “Podível e Impodível”

Avatar

Published

on

Depois de Julia Mestre, Josyara e Arthur Nogueira, hoje, dia 05 de março, é a vez de Theo Bial e Yan Cloud lançarem seus singles em homenagem a um dos grandes ícones da black music nacional, Di Melo. As faixas “A Vida em Seus Métodos diz Calma” (Theo Bial) e “Se o Mundo Acabasse em Mel” (Yan) fazem parte do EP batizado de “Podível e Impodível”, que será lançado na segunda quinzena de março.  O projeto traz oito faixas, sete delas cantada por um expoente da nova cena musical contemporânea e uma faixa cantada pelo próprio homenageado e produzida por Diogo Strausz e do Tó Brandileone.

Músico de 22 anos, filho de Pedro Bial e Giulia Gam, Theo Bial se ente orgulho em participar do EP “Podível e Impodível”. “Fazer parte desse projeto do Di Melo foi muito bom. Ele é um grande cantor da soul music, muito importante para a música brasileira”, reflete Theo Bial. O arranjo da sua canção foi feito com Calvin Sucena e eles buscaram trabalhar o sentido da calma na música. “A gente tentou passar essa sonoridade de calma, com um pouco da referência do neo-soul, do D’Angelo, da Erykah Badu, mas também do soul brasileiro, alguma coisa de Carlos Dafé, que eu gosto muito”, completa Theo que conta que tentou colocar um pouco da sua cara na música original. “Foi uma honra por ter vários artistas também que eu admiro nesse projeto fazendo outras releituras”.

Já para o cantor e compositor soteropolitano Yan Cloud, participar do projeto do Di Melo foi uma experiência muito diferente para ele. “Eu nunca tinha gravado músicas que não fossem de minha autoria. Ter a oportunidade de interpretar uma canção de um artista nordestino tão relevante como ele é uma oportunidade única”, conta. Yan acredita que esse EP quebra a construção que temos em mente sobre o novo e o velho, o moderno e o antigo. “Esse projeto mostra que a arte é atemporal”, completa.

Cantor, compositor, pintor, escultor, ator, escritor, poeta e uma lenda viva da música brasileira, o recifense “imorrível” Di Melo se diferenciou de seus demais contemporâneos pela variedade de gêneros musicais de sua obra, incluindo a mistura de elementos da soul music com a psicodelia.

Conhecido por seus grooves irresistíveis e por suas letras questionadoras, Di Melo lançou seu primeiro trabalho em 1975 e pouco depois alcançou o sucesso. Com o passar dos anos, sua obra foi sendo esquecida a ponto dele ser dado como morto. Mas seu trabalho foi resgatado e hoje ele é admirado no mundo inteiro por músicos, DJs e pesquisadores da música brasileira.

Advertisement