1. Home
  2. »
  3. Entretenimento
  4. »
  5. Tarsila, a Brasileira:...
in

Tarsila, a Brasileira: musical ganha sessão extra no feriado

Além da sessão extra, as apresentações regulares ocorrem todas as quintas e sextas-feiras, às 20h; sábados e domingos às 16h e 20h

Tarsila a Brasileira musical ganha sessao extra no feriado e1712594178507 POP CYBER
Crédito: Paschoal Rodrigues

Faltando pouco mais de um mês para ter sua temporada encerrada, Tarsila, a Brasileira abre uma sessão extra no feriado do dia 1º de maio, às 16h. O espetáculo, que vem esgotando todas suas sessões e já conta com público de mais de 65 mil pessoa, marca a volta de Claudia Raia aos palcos em um dos projetos mais importantes de sua carreira. A atriz protagoniza e produz Tarsila, a Brasileira, musical 100% nacional que retrata a vida de Tarsila do Amaral, que com sua paleta de cores e inovação, mostrou a verdadeira face do Brasil, traduzindo a complexidade e a riqueza da cultura nacional para o mundo todo.  A montagem, com texto e letras de Anna Toledo e José Possi Neto, que também assina a encenação e direção de arte, e direção musical de Guilherme Terra, traz ainda Jarbas Homem de Mello, dando vida a Oswald de Andrade. O espetáculo fica em cartaz no Teatro Santander, localizado no Complexo JK Iguatemi, em São Paulosomente até 26 de maio de 2024.

Os ingressos já estão à venda na internet (www.sympla.com.br) e pela bilheteria oficial do próprio Teatro Santander (sem taxa de conveniência – Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 2041). As apresentações ocorrem todas as quintas e sextas-feiras, às 20h; sábados e domingos às 16h e 20h, além da data extra de 1º de maio, que ocorre às 16h. “Tarsila, a Brasileira” é apresentado pelo Ministério da Cultura e Zurich Santander, patrocínio EMS Santander Brasil, co-patrocínio Cristália, e apoio Banco HyundaiCacau Show e Comgás. A produção é da Rega Início Produções Artísticas, a idealização da Raia Produções e realização é da Oito Graus Produções.

“Arte e cultura são fundamentais porque carregam nossa história, contam mais sobre nós, sobre nossa identidade coletiva”, diz Claudia Raia. “Tarsila do Amaral é a cara do Brasil. Com sua obra, ela mostra nosso potencial de criação, renovação e como é importante olhar o que veio antes, nem que seja para se alimentar daquilo e mostrar algo novo”.

Num verdadeiro passeio pelo início dos anos 1900, o público terá contato com ícones, como Anita Malfatti (Keila Bueno), Mário de Andrade (Dennis Pinheiro) e Menotti del Picchia (Ivan Parente), que, com Tarsila do Amaral e Oswald de Andrade, formaram o quinteto de modernistas que mudaram a história da arte brasileira.

Além deles, completam o elenco de 23 atores cantores: Carol Costa (Dulce/ Pagu), Liane Maia (Dona Olívia Guedes Penteado), Reiner Tenente (Luís Martins /Blaise Cendras), Estela Ribeiro (ensemble/ Tarsila do Amaral alternante), e também André Luiz Odin (ensemble), John Seabra (ensemble/ Mário de Andrade cover), Fernanda Godoy (ensemble/ swing), Fernanda Salla (ensemble), Guilherme Terra (Ígor Stravinsky/ Maestro condutor), Marcos Lanza (Sr. Juca / cover Menotti Del Picchia), Marilice Cosenza (ensemble/ Anita Malfatti cover), Matheus Paiva (ensemble), Mirella Guida (ensemble), Carol Botelho (ensemble / Dulce/Pagu cover), Rafael Leal (ensemble), Renato Bellini (ensemble), Vanessa Costa (ensemble / Dona Olívia Guedes Penteado cover), Guilherme Pereira (ensemble / dance captain).

Na equipe criativa de Tarsila – a Brasileira também estão Tony Lucchesi e Guilherme Terra (Músicas), Alonso Barros (Coreografia e Direção de Movimento), Renato Theobaldo (Cenário), Fabio Namatame (Figurino) e Dicko Lorenzo (Visagismo).

Sinopse

A história começa com a chegada de Tarsila a São Paulo, em 1922, vinda da Escola de Artes de Paris, e seu encontro com os modernistas, que daria origem ao famoso Grupo dos Cinco (Tarsila, Anita Malfatti, Oswald de Andrade, Mário de Andrade e Menotti del Picchia) e seria o início de um tórrido romance entre ela e Oswald. A ação então passa pela efervescência e excessos dos modernistas, a vida entre São Paulo e Paris, o atribulado e concorrido atelier de Tarsila em Paris, frequentado pela nata artística da época (Pablo Picasso, Igor Stravinsky, Eric Satie, Jean Cocteau, entre outros), o “redescobrimento do Brasil” e as revoluções estéticas que culminaram no movimento Antropofágico e na criação do Abaporu, ponto máximo da colaboração artística entre Tarsila e Oswald.

A segunda parte da história começa justamente com a Crise de 1929, quando Tarsila perde toda a sua fortuna e descobre a traição de Oswald com Pagu, jovem protegida do casal. Separada de Oswald e destituída de suas fazendas, Tarsila viaja para Moscou e dá início a sua fase de pinturas “sociais”, retratando os trabalhadores brasileiros. Tarsila é presa pela polícia de Getúlio Vargas, suspeita por atividades “revolucionárias” pelo simples fato de ter ido à Rússia. Acolhida e amparada pelos amigos, Tarsila então conhece seu último amor, o jornalista carioca Luis Martins, 24 anos mais jovem do que ela, com quem viveria por dezoito anos.

Após a morte da sua filha e sua neta, da separação de Luís, e da morte de Mário, Anita e Oswald, Tarsila reflete sobre suas perdas e encontra consolo na espiritualidade – mais especificamente, na doutrina espírita de Chico Xavier. Numa epifania, Tarsila revela sua visão e renova sua convicção na Arte como possibilidade de transcendência e de encontro com as pessoas que amou e as pessoas que compartilharam do mesmo sonho, que se funde com a Retrospectiva da Semana de Arte Moderna, cem anos depois, numa grande consagração da Cultura brasileira.

EQUIPE CRIATIVA COMPLETA

Texto e Letras de

Anna Toledo e José Possi Neto

Músicas: Guilherme Terra e Tony Lucchesi

Encenação e Direção de Arte: José Possi Neto

Coreografia e Direção de Movimento: Alonso Barros

Direção Musical: Guilherme Terra

Cenário: Renato Theobaldo

Figurino: Fábio Namatame

Visagismo: Dicko Lorenzo

Produção: Rega Início Produções Artísticas

Idealização: Raia Produções

Realização: Oito Graus Produções

Sobre o Teatro Santander

O Teatro Santander abriu as cortinas em 2016, com a proposta de ser um espaço multifuncional, moderno, sofisticado e inovador. É o primeiro espaço no Brasil que possui o sistema de recolhimento automático das poltronas e de varas cênicas automatizadas, que permitem a mudança de configuração do ambiente em questão de minutos. A casa, localizada no Complexo JK Iguatemi, foi recém eleita como a preferida dos paulistanos entre os teatros, na premiação Os Mais Amados de SP, da revista Veja São Paulo.

Pelo palco do Teatro Santander já passaram musicais como: We Will Rock You, My Fair Lady, Alegria, Alegria, Cantando na Chuva, Se meu apartamento falasse, A Pequena Sereia, Annie: O Musical, Sunset Boulevard, Escola do Rock, Turma da Mônica, O Som e a Sílaba, Donna Summer, Chicago, Wicked e Uma Linda Mulher.

O Teatro Santander também já recebeu diversos shows, espetáculos de dança e concertos eruditos e populares, além de eventos corporativos importantes, desfiles, jantares, premiações para empresas, seminários e workshops. Graças a sua versatilidade e tecnologia, o espaço está preparado para receber qualquer tipo de evento sem necessidade de mudanças na configuração. O ambiente dispõe de acessibilidade para comodidade e locomoção necessária.

Sobre Zurich Santander

Zurich Santander é a marca comercial dos produtos comercializados pela joint venture dos Grupos Zurich e Santander, dois dos maiores conglomerados do mundo nos setores segurador e financeiro. Criada em 2011, a partir de um acordo global em que a Zurich adquiriu 51% das operações de seguros, opera como Zurich Santander no Brasil, México, Chile, Argentina e Uruguai. Atualmente, ocupa a 4ª posição nos segmentos de Vida e Previdência e a 8ª colocação no mercado geral de seguradoras.

Santander e Cultura

O Santander é um reconhecido apoiador e difusor da Cultura em todos os países em que atua. No Brasil, não é diferente, o Banco acredita, investe e promove o acesso às mais distintas manifestações culturais e a democratização da cultura para a sociedade.

Além de patrocinar e promover parcerias com instituições e iniciativas culturais, como Museu do Amanhã (RJ), Festival de Música em Trancoso (BA) e a restauração do Mural Batalha dos Guararapes (PE) e do Museu do Ipiranga (SP), o Santander mantém seus próprios empreendimentos, como os Faróis Santander Porto Alegre e São Paulo, além do Teatro Santander e 033 Rooftop, na capital paulista.

Sobre o JK Iguatemi

Projetado sob novo conceito de shopping center, desde 2012, o Shopping JK Iguatemi reúne arte, moda, entretenimento, lazer, tecnologia, cultura, design, gastronomia e excelentes serviços em um único lugar. Faz parte do seu DNA os pilares de inovação e experiência, fazendo com que cada visita seja única e proporcionando oportunidades diferentes e inéditas para todos os públicos. Com a expertise e o diferencial em oferecer o mais completo e diversificado mix, o JK Iguatemi inova com qualidade e antecipa tendências para continuar sendo referência no setor.

Aquariano Nato MC Saci emplaca tres faixas no Top 10 do Spotify Brasil POP CYBER

“Aquariano Nato”: MC Saci emplaca três faixas no Top 10 do Spotify Brasil

Lorenzo Spano e Markyno celebram a ultima temporada em Tulum com o lancamento da track 22Tulum Hangover22 pela Nature RCD POP CYBER

Lorenzo Spano e Markyno celebram a última temporada em Tulum com o lançamento da track “Tulum Hangover” pela Nature RCD