Connect with us

Música

Sony Music e ID_BR lançam projeto “Vozes e Tons” para fomentar e celebrar a cultura negra

Published

on

VET 04 scaled
(Foto: Divulgação)

A Sony Music Brasil, em parceria com o ID_BR (Instituto Identidades do Brasil), reforça seu comprometimento contínuo com a diversidade e inclusão racial, e lança, por meio de uma iniciativa pioneira na indústria fonográfica nacional, o Vozes e Tons. O amplo projeto busca destacar a importância da cultura negra às novas gerações e jogar luz à toda a grandiosidade e representatividade de seus artistas.

A ação é composta por três frentes: pela websérie Vozes e Tons Inspiram, pelos grafites em pontos turísticos do Rio de Janeiro no Vozes e Tons Ocupam e pelo minidocumentário sobre cultura negra intitulado Vozes e Tons DOC. O objetivo do projeto, que vem sendo desenvolvido há cerca de um ano, é potencializar o trabalho de artistas pretos e pardos na indústria musical com uma série de atividades que se estenderão até 2022.

Cristiane Simões, diretora de Marketing e Produção da Sony Music Brasil, explica como os acontecimentos levantados pelo #BlackoutTuesday de 2 de junho de 2020 (protesto digital ocorrido após o assassinato de George Floyd, nos Estados Unidos, que viralizou e ganhou escala global), foram essenciais para que as práticas antirracistas da empresa partissem para ações afirmativas concretas.

Foi aí que, em conjunto com o time da Sony, veio a ideia do Vozes e Tons. O objetivo é enaltecer a cultura negra através de vídeos que contam as histórias da carreira de grandes compositores como Pretinho da Serrinha e cantoras como Sandra Sá, além de depoimentos de executivos que moldaram este mercado, mas que são pouco conhecidos pela nova geração“, comenta Cristiane.

Dentro do projeto, o ID_BR se posiciona com sua expertise, auxiliando na construção e desenvolvimento, na parte criativa e também na consultoria racial. Além disso, o instituto também fará treinamentos – o ABC da Raça – com os participantes do Vozes e Tons, tanto artistas quanto empresários, para contextualizar as relações raciais e o racismo estrutural no Brasil.

Muitas organizações entendem que temos um problema estrutural, mas não sabem como iniciar as mudanças. Nós apoiamos e damos o suporte necessário para que elas encontrem as melhores práticas e ações para a transformação interna. Em paralelo, mas também como parte ativa de que precisamos potencializar o movimento antirracista, o Vozes e Tons vem como forma de amplificar vozes negras potentes e talentosas”, diz Tom Mendes, diretor financeiro administrativo do ID_BR

Para chancelar o posicionamento da empresa na causa antirracista – que já vinha acontecendo na matriz norte-americana com a contratação de Tiffany R. Warren como executiva da área de Diversidade e Inclusão da Sony Music Global – além da união no projeto, a Sony Music Brasil também é uma empresa que aderiu ao Selo Sim à Igualdade Racial do ID_BR, ferramenta que ajuda a mapear as práticas necessárias para a promoção da igualdade racial de forma efetiva em uma empresa.

O resultado disso foi a criação da área de Diversidade e Inclusão dentro do departamento de Recursos Humanos, trazendo o tema para o cotidiano dos funcionários por meio de treinamentos e palestras, assim como o comprometimento em aumentar o número de colaboradores negros na companhia.

Sobre as ativações do projeto Vozes e Tons:

O projeto teve início em julho de 2021 com a criação do especial Vozes Negras, na rádio Eldorado FM. O programa apresentado pela cantora Paula Lima recebeu os convidados Elza Soares, Thalles Roberto, Sandra Sá e Pretinho da Serrinha para debater a importância e o legado da cultura negra na música, além de uma live com o cantor Rael.

O Vozes e Tons se apoia em três pilares:

 VOZES E TONS INSPIRAM: Websérie composta por sete episódios que mostra toda a riqueza dos diferentes gêneros musicais brasileiros e a conexão entre gerações distintas da negritude a partir dos depoimentos de Rebecca, Pretinho da Serrinha, Sandra Sá, Thalles Roberto, Alexandre Carlo, Talita Barreto e Rennan da Penha. Os vídeos irão ao ar todas às terças e quintas, do dia 19/10 ao dia 9/11, no YouTube do canal Filtr Brasil. Os áudios estarão disponíveis no Spotify e o público também poderá conhecer as referências musicais dos artistas convidados na playlist Vozes Negras Indicam.

VOZES E TONS OCUPAM: Em parceria com o projeto de arte urbana Negro Muro, o Rio de Janeiro será ocupado com grafites em três pontos da cidade a partir deste mês. Rostos de Martinho da Vila, Djavan e Sandra Sá estamparão murais nos bairros de Vila Isabel, Ipanema e Pilares, respectivamente, numa tentativa de ampliar as referências ancestrais negras da MPB. Para completar a narrativa, a websérie Vozes e Tons Ocupam mostrará os bastidores dessa ação com depoimentos dos grafiteiros e moradores locais, contando como o projeto impactou a arquitetura da região.

VOZES E TONS DOC: A partir de Janeiro de 2022, será lançado um mini documentário em formato de série para celebrar a cultura negra na indústria fonográfica. Mais uma vez, os artistas Rebecca, Pretinho da Serrinha, Sandra Sá, Thalles Roberto, Alexandre Carlo, Talita Barreto e Rennan da Penha terão suas trajetórias revisitadas. Dividido em oito partes, a produção também terá depoimentos de executivos da indústria criativa como Thiago Miranda (Produtor Artístico), Egnalda Côrtes (Fundadora e CEO da Côrtes e Cia – 1° Agência de Creators Negros Latam), Tiago Santos (Label Marketing na Som Livre), Naila Agostinho (Account Manager Deezer e Amazon Music na Sony Music), Wellington Mendes (CFO do Instituto Identidades do Brasil) e Bianca Nonato (Analista de Marketing Internacional na Sony Music).

Entre as temáticas retratadas estão as primeiras conexões com a música, as dificuldades de hackear o sistema fonográfico e, acima de tudo, quem são as vozes que são inspiração para um futuro que todos devemos buscar.

Para marcar presença no digital, o projeto contará com a divulgação de influenciadores negros tanto no Instagram quanto no TikTok. “Desenvolvemos esse projeto tendo como premissa fundamental a participação ativa de nossos colaboradores negros em todos os processos de criação. Só assim faremos algo de fato genuíno e verdadeiro”, complementa Cristiane Simões.

Para além de todos esses esforços citados, a Sony Music Brasil e seus representantes reconhecem que ainda há um longo caminho de mudança e valorização contínua quando o assunto é a cultura negra na diáspora. E a companhia tem o compromisso ativo com as mudanças, questionamentos e promover a visibilidade racial.

Jornalista, 23 anos, produtor de conteúdo, trabalho com marketing digital na indústria fonográfica. E-mail: [email protected]

Advertisement