O lado pop de Caino: kandrax nos conta sua jornada musical entre relações e identidade

kandrax
Groover

A gravadora independente boanerghes apresenta o lançamento do primeiro EP do produtor ticinese kandrax, intitulado “I Canti di Caino”. Este trabalho inclui cinco faixas que abrangem entre singles já lançados e inéditos, oferecendo uma reflexão sobre as relações humanas e a identidade pessoal.

O EP contém os singles “Emily Dickinson” e “CORPI”, os inéditos “TRE” e “Falsa Finta”, e uma releitura pop-eletrônica de “Pensiero Stupendo” de Patty Pravo.

Olá kandrax, obrigado por estar aqui conosco. Vamos falar sobre seu primeiro EP, “I Canti di Caino”. O que te inspirou a criar este trabalho?

kandrax – Olá, obrigado a vocês pelo convite. “I Canti di Caino” nasceu de uma reflexão sobre as dinâmicas das relações humanas e sobre a identidade pessoal. Queria explorar temas como a obsessão pela perfeição física e o amor não convencional, tudo através da lente da música pop.

Ouvindo uma das faixas inéditas, “TRE”, em certo ponto, fica confuso quem são os protagonistas que adotaram a frase “que a força esteja com os três”…

kandrax – “TRE” fala de uma relação entre dois homens e uma mulher que vivem juntos desafiando as convenções sociais. A canção explora os desafios que enfrentam, especialmente quando se separam e precisam lidar com a criação de um filho que cresceram juntos. Eu queria mostrar que, apesar das formas de amor e família poderem ser muito diferentes, as emoções e dificuldades de uma separação são universais.

Dessa perspectiva, a releitura de “Pensiero Stupendo” de Patty Pravo está perfeitamente alinhada…

kandrax – Sempre amei “Pensiero Stupendo”: a letra de Ivano Fossati é provocante, mas delicada. Reinterpretá-la em uma versão queer, com duas vozes masculinas, me permitiu explorar novas nuances de significado. É uma forma de celebrar a diversidade e a liberdade de amar quem queremos e como queremos. Não por acaso, o EP é lançado agora em junho, no mês do Orgulho LGBTQIA+.

Essas experiências de que você fala nas suas músicas são pessoais?

kandrax – Responder sim seria tão impreciso quanto responder não. Escrevo inspirado na minha vivência, mas também na das pessoas que encontro. Acima de tudo, tento tocar uma dimensão universal, que possa falar a todos, partindo de um evento singular e particular.

Você mencionou um projeto mais amplo com “I Canti di Adamo”. O que podemos esperar desse segundo EP?

kandrax – “I Canti di Adamo” será a continuação natural deste primeiro EP: continuarei a explorar temáticas semelhantes, mas musicalmente, o ambiente será um pouco mais sombrio. Haverá quatro faixas inéditas e uma cover. Depois, os dois EPs se juntarão em um álbum, no final de 2024.

Você começou como produtor. Você produziu o álbum de estreia de DIAMANTE, que está previsto para este ano; além disso, está trabalhando com outros artistas?

kandrax – Sim, estou produzindo o primeiro EP de AZZURRA, uma garota de Lugano de 16 anos, com quem já trabalhei em “Another Shot”, seu primeiro single, lançado há alguns meses. Tenho sempre muito a fazer, mas espero conseguir terminar todos os trabalhos que tenho em agenda!

 

 

Erwan Bedin

“Et Demain”: uma ode ao amor e à reconciliação de Erwan Bedin

Bernard Côté

Bernard Côté apresenta “Pour que tu reviennes vers moi”