Nova tecnologia 5G: entenda o que vai mudar

side view of man using smartphone

A internet está presente na vida de todas as pessoas, direta ou indiretamente, desde o despertar pela manhã até o momento de dormir. Com tantos avanços tecnológicos sendo lançados diariamente, a rapidez e instantaneidade já viraram uma necessidade e costume dos brasileiros.

Por conta disso, o lançamento da nova rede 5G, que está chegando aos poucos em cidades do Brasil, gera muita curiosidade e expectativa daqueles que anseiam por uma internet mais rápida e proveitosa.

O professor Vinicius Borges, do curso de Engenharia de Produção da Universidade de Franca – UNIFRAN, diz que a tecnologia 5G é a 5ª geração da rede de dados móveis. “Ela apresenta evolução, em relação à rede 4G, fornecendo maior velocidade de transferência de dados e permitindo um número maior de dispositivos conectados”, explica.

Mas o que vai mudar?

É importante ressaltar que as redes de dados via cabo ou fibra óptica não serão afetadas por esta tecnologia. Na prática, a maior velocidade vai proporcionar maior tráfego de dados, que reflete em mais qualidade nos vídeos em serviços de streaming e videochamadas, assim como mais agilidade na resposta de serviços e aplicativos online e a possibilidade de acesso a serviços, até então, inviáveis para as gerações anteriores da rede de dados móveis, como a integração dos veículos autônomos e semiautônomos ao controle inteligente de tráfego urbano e crescimento da Internet das Coisas, onde vários outros dispositivos como eletrodomésticos, equipamentos de vigilância e de automação residencial e industrial poderão fazer uso da mesma rede de dados utilizada pelos smartphones.

Será necessário trocar de celular ou operadora? 

Vinicius explica que para utilizar a rede 5G é necessário que haja compatibilidade entre o dispositivo e a rede. Os smartphones devem possuir transmissor e receptor de dados específicos para acesso à rede de 5ª geração, o que ainda está presente em um número bastante limitado de aparelhos. Em geral, novas tecnologias costumam ser lançadas em aparelhos mais caros, portanto, não deve demorar para que os modelos premium de smartphones comecem a ser lançados já compatíveis com a rede 5G. “Além do aparelho smartphone ser compatível, é necessário, ainda, estar em uma localização de abrangência do sinal da rede 5G e possuir um plano de dados móveis que permitam o acesso a essa rede”, afirma o professor da UNIFRAN.

Quais áreas vão ser afetadas?

A indústria, que vive atualmente sua 4ª revolução, alavancada pela Internet das Coisas, deverá ser muito beneficiada com a rede de 5ª geração, que permitirá a integração de diversos equipamentos à rede de dados. De acordo com Vinicius, o avanço da automação na mobilidade urbana também é uma promessa da indústria automotiva para a rede 5G, aproveitando a velocidade de transferência de dados para melhorar a precisão e estabilidade de sistemas de direção autônomas e semiautônomas. Serviços de realidade aumentada, holografia e jogos online também possuem aplicações com altas cargas de dados, que deverão aproveitar as velocidades oferecidas pela rede 5G.

O docente do curso de engenharia de produção da UNIFRAN finaliza dizendo que, neste momento, os impactos ainda não serão tão relevantes, visto que a rede 5G está em processo de implantação, as áreas de abrangência dessa rede ainda são relativamente pequenas e a quantidade de dispositivos compatíveis é limitada. Os avanços citados deverão acontecer de maneira gradativa, acompanhando o crescimento territorial da própria rede 5G.

Written by Redação

Trazemos diariamente conteúdo original e informativo para o público que quer acompanhar, em tempo real, os acontecimentos no cenário do entretenimento nacional e internacional.

Caso Tom Holland: Especialistas explicam o que as redes sociais podem causar à saúde mental

Dupla Léo & Raphael lança “Quem Tá Pegando Sou Eu”