“Ninguém me Viu”: Sttu retrata dias de luta com o boxe em novo single

Revelação do reggae nacional, o cantor Sttu preparou mais um single inédito. “Ninguém me Viu” é uma composição que cita bem a realidade em alguns pontos da capital paulista e pode também ser entendida como a luta diária de artistas e atletas em buscarem seu lugar ao sol. A canção chega a todos aplicativos de música nesta quinta-feira, 01 de setembro, com clipe no Youtube.

Composta pelo cantor e assinada por Bruno Dupre, renomado produtor musical responsável por trabalho de nomes como Rael, Viegas & Maneva, Edu Ribeiro e Marina Peralta, “Ninguém me Viu” traz Sttu cantando uma história triste, porém atual de nossa sociedade, em primeira pessoa. “Acredito que cantando assim, as pessoas vão se identificar com a história. O clipe vem para enfatizar a ideia e emocionar quem estiver assistindo”, explica o cantor.

O clipe conta com a direção de Rodrigo Pysi, que já trabalhou com nomes como Planta & Raiz, Patrícia Marx e Macucos. Algumas cenas acontecem dentro de uma academia de boxe, onde teremos um ator vivendo a história cantada. Uma licença poética para mesclar luta diária de vida desse personagem com o boxe, a Nobre Arte. “Para quem é da arte, a luta pode ser entendida também com a dificuldade de sobreviver do que ama, do que acredita, seja do esporte, da música ou alguma outra arte. O ator no clipe é, na verdade, meu treinador, então vai ficar nítido que é sim alguém do meio, com entendimento no assunto. Terão cenas minhas na rua em alguns pontos de sampa que se enquadram no tema, como a entrada da Paulista, por exemplo, onde mora uma galera ali embaixo”, completa.

Natural de São Paulo, Sttu descobriu sua paixão pela música aos 6 anos, influenciado pela família musical. Disposto a conquistar o país através de suas poesias em forma de canção, o cantor está preparando novos singles e quer um 2022 repleto de shows.

Sttu está finalizando as gravações do EP de estreia “Sem Pressa”, homônimo a seu primeiro lançamento, que deve contar com quatro singles que misturam DUB, reggae, pop à elementos acústicos como o bongô, ukulelê e violões.

Bruno Engelmann fala sobre pré-estreia do filme “After House”

Badi Assad realiza primeiro show da turnê “Ilha” no Sesc Vila Mariana em São Paulo