Connect with us

Música

Ministério Público decide pelo Arquivamento da Investigação de Apologia ao Crime através da letra da música Migué, de MC Maneirinho e MC Cabelinho

Published

on

MC Cabelinho
(Foto: Divulgação)

MC Maneirinho agradece e comemora o arquivamento da investigação de apologia ao crime através da letra da música “Migué” feita junto com MC Cabelinho. “Agradeço primeiramente a Deus e depois a todos os artistas que, de alguma forma, nos apoiaram. Tô feliz que esse processo foi arquivado. Tem uma diferença enorme entre quem comete crime e quem fala de um fato. As coisas estão aí… acontecendo… e elas são interpretadas de diversas maneiras. Às vezes, num filme, numa novela, numa série e numa música também. E nada mais justo que quem viveu, viu de perto, e já teve familiares vítimas dessa guerra, ter a liberdade de contar um pouco dessa história. Relatar um fato não é apologia”, afirma o artista.

Acusados de fazer apologia ao crime em suas músicas, Mc Maneirinho e MC Cabelinho foram intimados em outubro do ano passado e prestaram todos os depoimentos necessários. E a decisão do arquivamento foi acolhida ontem (9), pela Juíza Maria Tereza Donatti após parecer da Promotora Renata Silvares França Fadel. Segundo o advogado de Maneirinho, Doutor Paulo Joiozo, “a música somente teve a intenção de mostrar a realidade das favelas no Brasil e que a letra não faz menção a nenhum fato criminoso e se restringe a narrar uma situação hipotética e indeterminada”.

Maneirinho ainda destaca: “A gente aqui é MC de funk. E o funk nos permite essa liberdade, é nosso, é do gueto. Não tem como a gente falar que a garota de Ipanema é linda e cheia de graça se a gente não nasceu em Ipanema. A gente nasceu lá em cima. Só quem já viveu lá em cima sabe a realidade do nosso dia a dia”.

Mc Maneirinho começou cedo no funk. Nascido e criado na comunidade do Serrão, em Niterói, despertou para a música com 14 anos, usando um computador de um vizinho criando e produzindo beats. O DJ Diogo do Serrão, como era conhecido na época, descobriu e produziu Bonde das Maravilhas, Nego do Borel entre outros. O nome artístico acompanhado do MC, que significa mestre de cerimônias, surgiu aos 18 anos, junto com uma carreira profissional de sucesso. São de Maneirinho os hits “Todo Mundo Louco”, “Chefe é chefe”, “Que saudade da minha ex”, “Tudo Normal”, “Mamãe quero ir pra Gaiola”, “Depois do Baile”, “Amiga Fura Olho” entre outros.

E para Maneirinho, a indicação ao Grammy Latino de Melhor Interpretação Urbana, por “Pra Todas Elas”, em 2016, um feat com a cantora Anitta e produzida pelo DJ Tubarão, abriu ainda mais as portas para o funk no mercado internacional.

Atualmente, o artista já possui mais de 70 milhões de streams e mais de 800 mil ouvintes mensais só no Spotify. E vem muito mais por aí!

Jornalista, 23 anos, produtor de conteúdo, trabalho com marketing digital na indústria fonográfica. E-mail: [email protected]

Advertisement