in

Mel Duarte celebra cinco anos do álbum “Mormaço” com apresentações gratuitas

Combinando novas músicas e versões repaginadas de spoken word, as primeiras performances acontecem nos dias 22 de junho, no Centro de Culturas Negras, e 27 de julho, na Okupação Cultural Coragem. Outras datas serão anunciadas nas redes sociais da artista

Mel Duarte celebra cinco anos do álbum Mormaço com apresentações gratuitas
Foto: Helen Salomão
A cantora, escritora, poeta, compositora e produtora cultural Mel Duarte, conhecida por sua brilhante performance de “spoken word”, celebra o quinto aniversário do seu álbum de estreia “Mormaço – entre outras formas de calor” com uma série de apresentações na capital paulista.

Contemplada pelo Edital de Culturas Negras da Prefeitura de São Paulo, os shows, gratuitos e abertos ao público, acontecem em diversas datas, oferecendo uma combinação de versões repaginadas de faixas já lançadas pela artista e de novas composições que irão fazer parte de seu próximo trabalho musical.

Acompanhada da sua banda, Mel Duarte promete um espetáculo sensorial, explorando ritmos da MPB, reggae, soul, rap, funk, trap e pagodão baiano.

”É com muita alegria que finalmente posso anunciar a realização desse projeto que começou a ser construído no ano passado. Desde quando lancei o Mormaço, em 2019, tenho vontade de realizar shows completos com direito a uma super banda, cenário, figurino e iluminação. Agora, finalmente esse sonho vai sair do papel e ganhar forma. Apresentá-lo na minha cidade é um presente para o público que me acompanha desde a época dos saraus’, destaca Mel Duarte. ‘

Além dos 5 shows que compõem essa circulação, Mel convida o público para participar ativamente do projeto “Mormaço – palavras incendiárias”, uma experiência que mistura música e poesia em encontros repletos de reflexão. As rodas de conversa e performances poéticas têm como objetivo promover um espaço dedicado à expressão das mulheres, com participações especiais de artistas como Jéssica Campos, Jô Freitas, Bia Doxum, Indy Naíse entre outras.

Aproveitando o momento de finalização do próximo álbum “Colmeia”, a artista apresentará em cada show uma faixa nova deste trabalho, começando por “Querem nos Calar” e “Fagulha”, durante as apresentações ao vivo. Este projeto reafirma o compromisso da cantora com a arte da palavra, agora expandida pela musicalidade, abordando temas como amor, paixão e afeto, combinados com uma dose de provocação social.

“Ao mesmo tempo em que estou repaginando meu show, estou em estúdio produzindo um disco novo. Então, tenho aproveitado para me desafiar a experimentar ritmos que eu ainda não havia explorado no primeiro álbum, como o funk e o pagodão, brincando ainda mais com as palavras e buscando novas possibilidades musicais para minha arte, tem sido divertido e acredito que algumas faixas vão pegar o público de surpresa”, comenta.

A formação da banda contará com DJ Jazz, Felipe Parra (guitarra e direção musical), Taisson Zigy (percussão) e Ana Eliza Colomar (sopro).

“Eu gostaria que as pessoas lembrassem nesse show que a pausa é importante. Só quando você para, escuta e vê as coisas ao seu redor – ainda que os atravessamentos sejam muitos – ainda há coisas bonitas para se enxergar em meio ao dia a dia. Só peço alguns minutos pra fazer as pessoas lembrarem disso”, finaliza.

SERVIÇO 

“Mormaço – entre outras formas de calor

Local: Centro de Culturas Negras / CCN (zona sul)

Data: 22 de junho de 2024

Horário: 16h às 21h

Roda de conversa: A quebrada também ama! 

Convidadas: Ingrid Martins, King e Bia Doxum

Mediadora: Camilla Dias

Abertura poética: Jessica Campos

Show: Mel Duarte

Gratuito

 

“Mormaço – entre outras formas de calor

Local: Okupação Cultural Coragem 

Data: 27 de julho de 2024

Horário: 16h às 22h

Tema: Mulheres empreendedoras na literatura e na música

Convidadas: Indy Naíse, Camila Lordelo (Eu líricas) e Elizandra Souza

Mediadora: Camilla Dias

Abertura poética: Jô Freitas

Gratuito

 

SOBRE A ARTISTA

Mel Duarte é uma comunicadora com propósito, revolucionária do cotidiano que acredita nas palavras como ferramenta de transformação social.

A escritora, poeta, compositora e produtora cultural nasceu na primavera de 1988 em São Paulo (SP) e atua com literatura desde 2006.

Publicou os livros “Fragmentos Dispersos” (2013), “Negra Nua Crua” (2016, editora Ijumaa) traduzido para o espanhol “Negra Desnuda Cruda” (2018, ediciones ambulantes, Madrid, ES), “As bonecas da vó Maria” (2018, Itaú leia para uma criança), “Querem nos calar: Poemas para serem lidos em voz alta” (2019, Editora Planeta), “A descoberta de Adriel” (2020, Itaú leia para uma criança) e o mais recente “Colmeia: Poemas reunidos” (2021. Ed Philos)

 Em 2016 Mel foi destaque no sarau de abertura da FLIP (Festa Literária Internacional de Paraty) e foi a primeira mulher a vencer o Rio Poetry Slam (campeonato internacional de poesia falada). Em 2017 foi convidada a representar a literatura brasileira no Festilab Taag, em Luanda, Angola e em 2019 lançou um álbum de poesia falada intitulado “Mormaço- Entre outras formas de calor” disponível em todas as plataformas musicais. Mel Também integrou durante quatro anos a coletiva Slam das Minas SP, batalha de poesias autorais voltada ao gênero feminino e durante seis anos o coletivo “Poetas Ambulantes”.

Em 2021 foi uma das finalistas do prêmio “Inspiradoras” do Instituto Avon e Universa Uol. 

Em 2022 foi mestre de cerimônias do palco principal da Virada Cultural para um público de mais de 120 mil pessoas e no mesmo ano ao lado da artista Luz Ribeiro, escreveu e estreou o espetáculo “STAND UP POETRY: Capítulo 1- Palavras para o Futuro”, com direção de Naruna Costa. 


foto de perfil de gustavo neves author do pop cyber

Escrito por Gustavo Neves

Gustavo Neves é um jornalista experiente na cobertura de notícias nacionais e internacionais. Com uma paixão inabalável pela música, tem se destacado em diversas áreas. E-mail: [email protected]

booi-cassino

Jogos de Mesa Mais Populares no Booi Cassino

Tems lança álbum de estreia, Born in The Wild, pela RCA Records:Since '93

Tems lança álbum de estreia, “Born in The Wild”, pela RCA Records/Since ’93