Connect with us

Música

MAY-A estreia novo single “Time I Love To Waste”

Avatar

Published

on

may a scaled
Foto: Divulgação

O prodígio pop emergente de Sydney, MAY-A, com 19 anos, compartilha o novo single “Time I Love To Waste”, a segunda metade da história de um relacionamento florescente que continua a partir do single lançado em 2020, “Apricots”. Com o mais cativante dos refrões pop, “Time I Love To Waste” é cativante aos ouvidos, cheio de esperança, êxtase, um toque de imprudência e paixão, como MAY-A abraça de todo o coração a sexualidade e nova identidade, enquanto se apaixona cada vez mais profundamente pela primeira vez. A faixa chega acompanhada de vídeoclipe inédito.

MAY-A lançou apenas alguns singles até o momento, mas ela tem rapidamente crescido em base fãs leais, tanto em seu país quanto no exterior, acumulando 250 mil assinantes do YouTube, dezenas de milhões de streams online (“Apricots” acumulou mais de 3,5 milhões de streams apenas no Spotify em apenas três meses), um material de suporte para Wafia, com direto a elogios da estação de rádio e formadores de opinião da triple J, bem como dos principais veículos que incluem Variety, NMW, Dork, Ones To Watch, American Songwriter e muito mais.

Sobre a composição de “Time I Love Waste”, MAY-A compartilha: “esta música foi escrita no mesmo dia em que ‘Apricots’, no espaço de três horas, e é quase a mesma garota”. Recontando o que passaram juntos, do café que visitaram ao suéter Lacoste verde que a crush usava, MAY-A descreve cada momento em detalhes vívidos. “Eu tinha certeza de que ela gostava de mim quando eu estava escrevendo”, ela continua, “mas eu, pessoalmente, nunca me interessei por alguém do jeito que eu gostava dela. Eu estava completamente apaixonada. Eu queria dar a ela tudo o que ela queria e eu realmente senti que ela estava completamente for a do meu alcance”.

Tendo escrito músicas desde os 12 anos de idade, MAY-A aperfeiçoou um tipo de composição que combina as estrutura pop clássicas e a narrativa das canções favoritas que permeam a casa de infância com as sensibilidades alternativas de Billie Eilish, a indiferença de Gen Z cool de Clairo, e a poesia suburbana de Lorde. Com a narrativa comovente e elíptica, lirismo observacional perspicaz e composições repletas de viradas musicais, MAY-A interroga as realidades da juventude com clareza e maturidade que vão além dos 19 anos que ela tem.

Jornalista, 23 anos, produtor de conteúdo, trabalho com marketing digital na indústria fonográfica. E-mail: [email protected]

Advertisement