Marília Mendonça realizou compra de jato particular um dia antes de sua morte

foto marilia mendonca

Um dia antes de falecer em um acidente aéreoMarília Mendonça havia decidido comprar seu próprio jato. A cantora não queria mais voar de bimotor, prezando por sua segurança e conforto. A revelação foi feita por Wander Oliveira, que foi empresário da sertaneja, ao jornalista João Batista Jr., da revista Piauí.

No dia 4 de novembro de 2021, Wander estava na sua empresa WorkShow, em Goiânia, onde participou de uma reunião de trabalho com a Rainha da Sofrência. Assim que chegou ao local, Marília abriu a porta da sala principal e, do seu jeito despojado de sempre, fez um anúncio: “Wandão, tá decidido. Pode procurar um jato para nós! Não quero mais ficar viajando aí em avião bimotor”.

Os dois então combinaram de procurar por uma aeronave modelo Phenom 300 ou um Citation cj4 — ambas com autonomia de voo de até 3,6 mil km. No dia seguinte, entretanto, Marília, que dois meses antes havia se recusado a embarcar num bimotor King Air que pertencia ao próprio Oliveira, precisou viajar para Minas Gerais em uma aeronave similar. Ela faria um show em Caratinga, no interior do estado, onde a pista de pouso só podia receber bimotores. E foi a caminho do local que a fatalidade aconteceu.

Segundo a reportagem, às vésperas de sua morte, Mendonça estava faturando de 10 a 12 milhões de reais por mês, entre o que recebia das plataformas digitais, além dos contratos publicitários e shows. Antes de falecer, a sertaneja também fechou negócio com a Netflix, após recusar propostas da Amazon e Globoplay. A gigante do streaming fará uma série documental sobre a vida e obra da artista. “Ela adorava ver Netflix com as amigas”, disse Wander. O projeto está mantido e talvez tenha dez episódios.

O empresário afirmou, ainda, que pretende criar uma premiação levando o nome da Rainha da Sofrência: “Também vou lançar um prêmio de música chamado ‘Prêmio Marília Mendonça’”. À publicação, Oliveira se lembrou do dia em que conheceu Marília, em 2008. Com apenas 13 anos, ela foi até os escritórios da WorkShow mostrar suas composições. A dupla João Neto e Frederico estava na empresa e se espantou com o talento da menina. “Ela era uma garota sem experiência de vida, mas falava de amor, dor e traição como se tivesse passado por cinco divórcios”, apontou Frederico.

Foi com essa idade que Mendonça compôs “Minha Herança”, primeira canção a ser gravada profissionalmente por João Neto e Frederico. Também fez “Cuida Bem Dela” para a dupla Henrique e Juliano. Mas foi só depois de quase seis anos escrevendo hits para outros artistas que a Rainha da Sofrência foi lançada como cantora. “Esperei ela fazer 18 anos para protegê-la dela mesma. Ela não tinha estrutura emocional para lidar com o mercado, que poderia sugar essa criatividade”, encerrou Wander. Para ler a entrevista completa, clique aqui.

Written by Redação

Trazemos diariamente conteúdo original e informativo para o público que quer acompanhar, em tempo real, os acontecimentos no cenário do entretenimento nacional e internacional.

biagu

“Se A Bad Bater”: Bia Gullo espanta a bad em nova música

llucas

Lucas Pretti se une aos europeus Diego Miranda e Mad Mac em “Moonlight”