Conecte-se conosco

Música

Luan Santana faz história e “constrói cidade” para gravar DVD

Publicado

em

LUAN SANTANA ASSIM NASCE UM BEBADO Lana Pinho 34 scaled
(Foto: Divulgação)

Luan Santana prepara a gravação de um novo DVD, que não é apenas “mais um” DVD. “Luan City” vem sendo concebido para ser mais que um show, a partir da concepção de uma grande festa capaz de abraçar as pessoas da plateia como parte do espetáculo. O evento será realizado no dia 13 de dezembro, segunda-feira, na Vila Itororó, patrimônio histórico tombado em São Paulo, que de fato funcionou como uma vila e foi erguida entre 1922 e 1929. O cenário será palco de uma mega apresentação de músicas inéditas e grandes sucessos. Mais: números circenses e efeitos especiais como nunca se viu no Brasil.

Minha ideia foi realmente trazer uma nova sonoridade para a minha história”, explica Luan. “As pessoas vão estar envolvidas nesse mundo, nessa cidade que a gente está criando para que tudo seja uma grande festa, uma grande tribo que a gente vai juntar, em nome da alegria, da emoção e da energia que envolve o repertório.

Com 16 canções inéditas, as músicas se debruçam sobre questões de amor com temáticas que envolvem traição, saudades e perdas, mas não se engane: 95% das composições são norteadas por muita pulsação e energia, prontas para fazerem o público tirar o pé do chão e se entregar a coreografias ao gosto de cada um.

Não que o romantismo não tenha espaço nesse cenário, muito pelo contrário. Luan promete fazer com que todos se identifiquem com o enredo de “Luan City”, que contará ainda com três atrações surpresa. São convidados que contemplam o sertanejo raiz, o sertanejo contemporâneo e a música pop, a serem conhecidos só na hora da apresentação.

“Por que ‘Luan City’?”, pergunta o ídolo, que imediatamente responde: “Porque realmente é uma cidade, é uma junção de ritmos, de sensações e atrações acontecendo ali. Vai ter pirotécnia, artistas circenses, interação com maquiagem fluorescentes que brilham no escuro, tatuagem: a ideia é fazer com que as pessoas entrem em um outro universo, uma cidade utópica, longe da vida real.

As músicas têm uma pegada latina”, segue Luan. “É a junção do arroxa brasileiro, que se tornou tão popular no sertanejo, com o ritmo da quizomba, da tarraxa, com influências do reggaeton latino.

São músicas que acompanham mais ou menos a linha da ‘Morena’, um dos hits deste ano, que esteve entre as músicas mais tocadas de 2021.

Seguindo a premissa de envolver a plateia como parte do show, o palco será uma junção de passarelas que cruzam todo o espaço da Vila Itororó. “É um local de ruínas, e a gente não pode cobrir as ruinas”, antecipa Zé Carratu, responsável pela direção do espetáculo para o DVD. “Assim, o cenário é inteirinho transparente, com efeito cinético, de luz, feito inteiro com neon e iluminação, fazendo com que essas ruínas apareçam e se sobressaiam. Pela frente, teremos um layer de neon, e atrás, as ruínas iluminadas”, antecipa.

A escolha pelo cenário partiu do próprio Luan, que quis marcar o acontecimento com um contraste entre a arquitetura histórica ali preservada e a tecnologia atual, optando por “uma pegada high tech”. O figurino se pauta pelas últimas décadas do século passado, dos anos 1980 aos 2000, honrando um período marcado por intensa evolução da tecnologia”.

De certa forma, o projeto da vez corrobora o histórico de um artista que no passado se inspirou na década de 1960 para fazer o DVD “Acústico” e, depois, tomou o ano de 1977 como referência de outro trabalho.
Agora, a proposta é levar esse show para viajar o país e imprimir, em cada lugar, a ideia de uma plateia integrada ao show, habitante daquele espaço público que lhe pertence.

Vai ser uma festa com astral muito gostoso. Estou falando ‘festa’ porque é o que a gente quer passar, a gente quer que todo mundo se sinta numa festa, não necessariamente num show. Não é só olhar para o palco e ver o show, eu quero que as pessoas se sintam abraçadas por toda essa energia, envolvidas nessa cidade, nessa festa que agente armou”, reforça o protagonista do DVD.

O artista ressalta ainda que cada ângulo que se mira na Vila Itororó revela um cenário distinto, à esquerda, uma espécie de China Town, à frente, a mansão principal, além de outras imagens à direita e às suas costas, criando um espaço “360”, o que só conspira a favor da vivência dentro da cidade ali criada.

A VILA ITORORÓ

A Vila Itororó é um espaço localizado no Rua Martiniano de Carvalho/Rua Maestro Cardim, no bairro da Bela Vista, em São Paulo, composto por um palacete e 37 casas.
O nome vem do Riacho Itororó, que na época da construção passava por ali e mais tarde foi canalizado. A vila abriga a primeira piscina privada de uso público em São Paulo, hoje desativada, tendo chegado a ficar cheia de lodo e servido como depósito para o maquinário enferrujado da antiga lavanderia do conjunto.
A partir do dia 13 de dezembro, vai virar vila dos sonhos, do som, dos fãs de Luan, que tanto acredita na arte como marco de uma história.

Trazemos diariamente conteúdo original e informativo para o público que quer acompanhar, em tempo real, os acontecimentos no cenário do entretenimento nacional e internacional.

Publicidade