Gaê lança canção manifesto “Sorria” em parceria com Aqno e Lui

CAPA SORRIA
Capa | Gaê | Reprodução: ZAZ Conteúdo

Era para ser mais um tweet, às 16h11 do dia 14 de outubro, desabafando sobre a insegurança de uma pessoa – dentre milhares – que vive com o HIV, sobre a falta de medicamentos e cortes no orçamento governamental para o atendimento da doença. O produtor cultural, escritor, cantor e compositor brasiliense Gaê viu seu relato ganhando proporções não esperadas, sendo compartilhado e curtido por milhares de pessoas e estampado em veículos de imprensa em poucas horas.

Acuado pelo movimento online e ignorado pelos portais que usaram seu tweet para conseguirem engajamento, o artista decidiu falar sobre a situação em “Sorria”, canção que canta em parceria com outros dois artistas que vivem com o HIV, Aqno e Lui, que será lançada nesta quinta-feira (1), Dia Mundial de Combate à AIDS.

“Os primeiros versos surgem como um desabafo bem direto ao modo como mídia e até pessoas do meu convívio ignoram minha produção artística, mas se sentem bem e até orgulhosas de reproduzir meu sofrimento para ganho pessoal, sem, na maioria dos casos, sequer me perguntar se aquilo me faria bem ou se eu estava bem apesar do ocorrido”, comenta o artista. “Pessoas que nunca compartilharam nada sobre minha música, os clipes ou meu livro, de repente estavam se compadecendo de seu ‘querido amigo Gaê’ nas redes sociais. Por mais que pudessem ter boníssimas intenções, falharam em perceber a relação utilitária que estavam tendo comigo e, pior ainda, com meu diagnóstico. Eu não sou um vírus, tampouco sou a próxima fonte de indignação para um textão na rede social”, destaca Gaê.

O tweet que alcançou quase 100 mil likes gerou uma pressão no artista, que acabou não voltando ao local em que recebe seus medicamentos pelo constrangimento de estar, involuntariamente, à frente de um movimento que não havia começado. “Ao invés de discutirem realmente o planejamento orçamentário e a insegurança que assola as pessoas que vivem com HIV, começou ali uma briga entre apoiadores dos então candidatos à presidência”, relembra.

PARCERIA

Como parte da campanha de lançamento, Gaê, Aqno e Lui convidaram seu público e apoiadores a reproduzirem a capa da Revista Veja que estampou Cazuza. “Está é um símbolo terrível dos absurdos que a mídia faz conosco. Na campanha, tem pessoas que vivem com HIV ou não, pessoas de perfis inúmeros que toparam se unir à gente para dar um basta nessa história de ter alguém representando a questão e sendo reduzido a isso. Este é um assunto para todo mundo, o tempo todo”, afirma Gaê.

Aqno celebra a oportunidade de compor este projeto ao lado dos outros dois artistas. “Foi uma alegria imensa receber esse convite, para além do que nos conecta como pessoas vivendo com HIV, mas pela possibilidade de fazer arte juntos e amplificar essa conversa tão importante nesse lugar tão potente de fazer arte, cantar, fazer parte da história da música brasileira”, afirma. “’Sorria’ é um presente que engrossa os movimentos que tecemos em nossos territórios: nos acolhemos para estilhaçar no país um grito pela e com a vida; espelhando, acolhendo e farolizando em mais de 1 milhão de brasileires que vivem com o HIV”, completa o artista Lui.

‘DEVE RESSOAR’

Gaê destaca, ainda, que, apesar de estar falando sobre este recorte, a mensagem dessa canção deve ressoar também com artistas que podem representar outros recortes como pretos, trans, gordos ou com deficiência, por exemplo. “Quantes artistas negres não foram lembrades só agora à beira do 20 de novembro? Quantos convites não recebemos em junho pra ficar a ver navios o resto do ano inteiro? Por que a pauta sobre nossa arte deve ser sempre sobre arte LGBTQIAP+, ou artistas que ‘superam a deficiência’? Por isso, o movimento precisava ser para além de mim, de Aqno e Lui”, questiona.

ROB RESPIRA 5 1

Trazendo a ‘beleza das cicatrizes’, Rob apresenta debut single “Respira”

WhatsApp Image 2022 12 01 at 16.00.09

Sidcelos lança “Diferente de Você” em parceria com a drag queen Pikineia