Gabily fecha álbum de homenagem ao funk carioca com Bonde do Tigrão e Tati Quebra-Barraco

logo do pop cyber
(POP CYBER)

20 anos em quase dois meses. Com o início no dia 30 de julho, o projeto Eternos Clássicos teve como objetivo revisitar duas décadas do funk carioca que se disseminou em escala nacional. Se, nesta quarentena, ainda estamos sem nenhuma perspectiva do futuro, a cantora Gabily voltou ao passado para trazer estabilidade aos nossos sentimentos. Mas, nesta quinta-feira, dia 10 de setembro, o seu trabalho de historiadora chega ao fim, quando lança dois medleys com sucessos do Bonde do Tigrão e da Tati Quebra-Barraco em todas as plataformas de música e com clipes no Youtube.

Adentrando a comunidade Cidade de Deus, o espaço tido como um dos mais perigosos do Rio de Janeiro até hoje, Gabily faz relembrar um grupo de jovens artistas que conseguiram mostrar para o Brasil uma outra realidade. Leandrinho, Gustavo, Vaguinho e Thiaguinho formaram o grupo Bonde do Tigrão no ano 2000 e conseguiram o Disco de Platina já no ano seguinte. Não à toa, Gabily homenageia o quarteto com a versão voz e violão de “Cerol na mão” e “Tchutchuca” – esses foram os hits nacionais daquele verão de 2001.

Em paralelo, no mesmo lugar e no mesmo ano 2001, uma jovem de 20 anos se lançava no mercado da música com o álbum homônimo “Tati Quebra-Barraco”. Com letras empoderadas, de amor próprio e de liberdade sexual, Tatiana alcançou o sucesso no segundo álbum, “Boladona”, em 2004. É nele que estão presentes todas as canções que Gabily canta no medley de homenagem à funkeira (“Boladona”, “Me Chama de Cachorra”, “Kabo Kaki”, “Dako é Bom” e “Montagem Guerreira”).

Com essas duas faixas, Gabily fecha o projeto Eternos Clássicos reinterpretando os funks que ficaram marcados na história da música popular brasileira. “Esses foram os artistas que ajudaram a ampliar o espaço do funk e contaram a realidade das nossas favelas para o Brasil. Além de ter sido um passatempo reviver esses clássicos nessa quarentena, foi também uma forma de agradecimento por quem abriu portas para mim”, diz a artista.

Sobre Gabily:

Gabily começou sua carreira musical aos 15 anos de idade, postando vídeos de covers e performances nas redes sociais. Em 2015, ela lançou seu primeiro single, “Diz”, que chamou a atenção do público e a colocou em destaque na cena musical.

A música de Gabily combina diversos estilos, como pop, funk, R&B e reggaeton, criando uma sonoridade única e dançante. Suas letras abordam temas como amor, empoderamento feminino e diversão. Ela é conhecida por seu estilo autêntico e energético, e suas performances no palco cativam o público.

Gabily colaborou com vários artistas conhecidos ao longo de sua carreira, incluindo Ludmilla, Kevinho, MC Du Black e Nego do Borel. Algumas de suas músicas mais populares incluem “Deixa Rolar”, “Amor de Fim de Noite”, “Agora Eu Virei o Plano” e “Tu Tá Preparada”.

Além de sua carreira musical, Gabily é uma figura influente nas redes sociais, compartilhando momentos de sua vida pessoal e interagindo com seus fãs. Ela continua a lançar novas músicas e se apresentar em shows, mostrando seu talento e versatilidade como artista. Gabily é considerada uma das revelações da música pop no Brasil e seu sucesso promete crescer ainda mais no cenário musical.

Escrito por Gustavo Neves

Jornalista e empreendedor, atuando como CEO e fundador do POP CYBER. Curso Jornalismo na renomada Universidade Positivo, em Curitiba. Minha paixão pela informação e pela música me impulsionam a criar conteúdo relevante e impactante.

logo do pop cyber

DJ Gabriel do Borel e MC Negão da BL lançam “Menino de Ouro”

logo do pop cyber

Playlist Top Brasil do Spotify atinge a marca de 5 milhões de seguidores e ganha nova identidade visual