Connect with us

Música

Fim de relacionamento vira canção na voz de Dias

Published

on

CAPA CLIPE BANDEIRA GABRIEL DIAS
Foto: Divulgação

O jornalista e carioca Dias apaixonou-se pelo samba aos 12 anos e nunca mais parou de desenvolver seu gosto musical. Estudou cavaquinho, foi integrante em um grupo de pagode chamado Família S/A, mas, agora, ele está prestes a lançar seu primeiro single, que se chama “Bandeira” e será lançado no dia 12 de março em todas as plataformas de streaming.

Dias abre os trabalhos como cantor com um single escrito para um grande amor. E, para “não perder sua memória por nada”, o jornalista decidiu guardá-la não só nas lembranças, mas na letra da canção de estreia junto de um clipe que traz um ar nostálgico e intimista, gravado em São Lourenço, município de Minas Gerais.

“A música fala de um relacionamento que está prestes a acabar. Como quando tentamos segurar o relacionamento até o final e muitas vezes precisamos comprar uma briga, uma bandeira que, neste caso, é a bandeira do amor. Só que aí, as coisas ficam um tanto insustentáveis, mas você sente que ainda assim valeu a pena. No fim, a gente amadurece” relata Dias.

A canção apresenta-se generosamente como um bom fruto da MPB, mas também carrega uma forte influência do samba. Uma homenagem do artista ao gênero que, segundo ele, representa uma parte essencial na sua vida.

É engraçado porque eu não tenho família nascida no samba, não sou do subúrbio, mas tenho um carinho muito grande pelo samba, não tenho a pretensão de me apropriar do som, mas homenageá-la através da minha música e não perder de vista a percussão que vem do gênero”, comenta.

Sob a produção musical de Xerxes Frozi e Cadu Millet, “Bandeira” estreia como cartão de visita, um aperitivo do artista que se arrisca no cenário da música autoral de um jeito sincero e poético, num ano atípico que ainda vive sob à pandemia da Covid-19, sem a alegria do samba na Sapucaí e do carnaval de rua.

É uma história real que eu resolvi compartilhar nesse momento intenso que estamos vivendo, mas que artisticamente é muito rico. A música é o que salva”, finaliza Dias.

Jornalista, 23 anos, produtor de conteúdo, trabalho com marketing digital na indústria fonográfica. E-mail: [email protected]

Advertisement