Connect with us

Música

Anna Cléo faz live pela FM Odia após sucesso de ‘Beijo Bom’ na rádio

Published

on

1 7

Nascida e criada em Itaguaí, Zona Oeste do Rio de Janeiro, Anna Cleo, de apenas 24 anos, sempre sonhou em ser cantora. A artista que foi descoberta cantando em transportes públicos como barcas e metrôs, hoje pode afirmar feliz que seu sonho profissional está se realizando. Após a aparição no programa Encontro com Fátima Bernardes, da TV Globo, a artista “deu start” no reconhecimento de seu talento e potência musical, abrindo portas e iniciando uma agenda de shows.

“Me tornar uma artista reconhecida é um dos passos para completar meus sonhos e realizações.  Sou muito grata a cada um que me ajudou a ter os resultados diários como cantora. Minha família está contemplando essa fase com muito carinho, me mandando energia positiva e me apoiando sempre. Tanto família quanto os amigos estão todos muito felizes de ver que tudo que sonhei e batalhei está aos pouquinhos acontecendo” – relata a artista.

Com uma pegada de pop funk brasileiro, Anna Cléo, que é apaixonada por moda e se destaca pelo seu estilo, promete ser o novo nome da cena musical carioca com todo seu suingue na dança e reverberando simpatia. Hoje, fazendo parte do casting da agência M Music, do empresário Marcelo Valência, a artista se prepara para lançar seu primeiro EP nas plataformas digitais, pela M Music em parceria com a Fluve (distribuidora da Som Livre), e, simultaneamente, o pocket show gravado no estúdio da Som Livre já com as faixas do disco.

“A Black Music fez parte da minha vida desde muito cedo, então nomes como Sade, Simple Red e Michael Jackson foram minhas primeiras referências. Na adolescência o Hip Hop também ganhou espaço no meu coração e daí minhas inspirações permeiam por Chris Brown, Usher, Rihanna, The Black Eyed Peas, entre outros da época.” – conta Anna.

O empresário explica que o trabalho hoje realizado é quase todo focado no virtual e focado em diversos estilos, mas acredita que em determinadas situações lançar um disco ainda é essencial.

“Hoje em dia um disco ainda se faz necessário em dois casos: para lançar uma jovem artista, fazendo com que o público conheça logo seu estilo e influências; ou para revitalizar uma carreira já conhecida e com enorme potencial, que é exatamente o caso da Anna.”, explica Marcelo Valencia.

Jornalista, 23 anos, produtor de conteúdo, trabalho com marketing digital na indústria fonográfica. E-mail: [email protected]

Advertisement