Categories: Colunas

A quarentena produtiva de Di Ferrero

Dois dos caras mais “gente boa”que encontrei nesse mundo da música se juntaram e, por conta deles, desde que acordei, estou ouvindo o mesmo EP, que não poderia ter outro nome, tratando-se desses caras. Estou falando do “Di Boa Sessions 1”, que traz Thiaguinho como convidado do Di Ferrero em duas releituras maravilhosas: um sucesso do NX Zero e outro da carreira solo do Di.

Quarentena produtiva

Posso dizer sem nenhuma sombra de dúvidas que quem me fez entender que o coronavírus tinha chegado ao Brasil foi o Di Ferrero. Era 12 de março e tínhamos um show dele marcado para o dia 14, sábado seguinte. Eu havia agendado uma entrevista com ele pela Rádio Mix para o mesmo dia quando recebi a notícia de que teríamos que cancelar por motivo de saúde. A doença? Coronavírus. Até então não havia nenhum artista brasileiro nos noticiários com o vírus. O corona ainda era motivo de meme aqui no Brasil. Di se isolou em casa e desse isolamento saiu o “40tena sessions”, lives feitas em casa, usando o cinzeiro para segurar o telefone, feitas no maior improviso, mas que foram muito bem recebidas pelos fãs. Foi aí que começou o isolamento mais produtivo do Brasil.

Além das lives no Instagram, na quarentena Di já realizou shows online no seu canal do YouTube, lançou músicas e até clipes novos! Foram “Desculpa” e “Vai passar”. Essa última que citei foi a primeira que ele disponibilizou, uma canção otimista sobre o fim da quarentena, sobre o dia em que vai passar e vamos poder novamente nos abraçar. No início da pandemia o entrevistei por telefone, quando Di ainda estava doente. Perguntei como ele achava que sairíamos dessa. “Bem melhores”, ele respondeu. “E sabendo que não precisamos de muito, só de um pouco de fé e criatividade”.

Releituras

Criatividade é o que não falta na quarentena de Di Ferrero. Algumas vezes comentei aqui em casa que, se tem um artista trabalhando muito nesse caos, esse é o Di. Além das inúmeras entrevistas que deu sobre a doença, o cantor produziu bastante. Quando conversamos, ele falou da sorte de estar isolado com seu violão. Nessa sexta, 26, ele lançou a primeira de quatro partes do seu projeto “Di Boa Sessions” e trouxe com ele um convidado mais que especial: seu amigo de longa data Thiaguinho. Juntos fizeram a releitura de duas músicas que foram sucesso na voz do Di. “Ligação”, gravada com sua antiga banda NX Zero em 2012 e “No mesmo lugar”, já da sua carreira solo, lançada originalmente em 2018. Sou suspeita para falar, porque gosto muito dos dois artistas e respeito muito suas histórias. Mas vale a pena conferir essa mistura de estilos. O vídeo tem momentos dos dois amigos durante as gravações.

Releitura de sucessos é algo que já faz parte da vida do Di. No “Sinais Sessions”, gravado ao vivo no Morro da Urca, no Rio de Janeiro, e disponibilizado no início do ano, o cantor convidou Vitão para uma participação que resultou na versão reggae de “Só rezo”, sucesso com o NX Zero em 2009. Em entrevista, perguntei ao Di sobre algumas músicas que notei que ele estava voltando a cantar, como “Espero a minha vez”, também de 2009. Ele respondeu que tem gosto em nunca deixar que as canções da sua trajetória morram. “As músicas têm vida própria, e se estiver dentro de um contexto, não tem porque não cantar. Acho que é bom pra minha história, pra história do NX”, disse, completando que não pretende parar nunca de criar. “Sempre vou fazer músicas novas, que é o que eu gosto de fazer, gosto do processo”.

Ju Pires

Ju Pires é jornalista e produtora de conteúdo com passagem pela rádio FM O Dia, Mix Rio FM e SulAmérica Paradiso. Fã de Britney Spears, seu lema é: “se a princesinha do pop superou 2007, somos capazes de superar tudo”.

PUBLICIDADE